sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Translucidez

Sai do meu poema. Exijo mais do que invaginar-me por ti adentro igual febre que espanca estoira sangra esfarrapa atordoa entra pelo quarto minguante sai pela culatra bate contra a cama atravessa os ventrículos e estremece a insónia como um terramorto. Vai. Mas só um pouco. E muda a cela do meu lugar. Euforia é quase sempre a continuidade de gritos engolidos pelo vazio quando ousas tapar a boca com beijos que não te pertencem.
Vai. Sai com esperança alívio alento e vigor mesmo que a saída não passe de um poema. Parte a linha do horizonte ao meio. Prende-te às nuvens e sobe mais. Fica até perderes o compasso a régua o fio o prumo e absolve quem por descuido arrendar amor instante efervescente cujo prazo de eternidade é mais ou menos zero.
Sai. Abala-me no peito. Alveja-te com o bem que me queres. Hei-de vasculhar pétalas até achar flor. Vou esperar pela água até encontrar sede. Hei-de procurar astros até encontrar céu. Vou procurar ondas até achar mar. Hei-de chamar-te com o meu nome até desencontrar o teu. Vou caminhar apé encontrar vestígios de inspiração na falta que te inspira a não escrever. Hei-de retirar aspas entre frases sem charme e dar-te mais vinte e quatro portas para entrares no meu poema. Chega. Não chores mais nisso. Mas sai. Brinca-me com palavras que não me impeçam de mastigar a tua voz até perder o sabor. Trinca-me os risos que se feriram a rir de nós por não sabermos chorar. Brincando. Apaga as pirilâmpadas transluzindo sombra. É tarde. Mas só um pouco.
É tarde para ficarmos do lado de fora da página. Entra pelos versos. Não vou forçar nem mais um sorriso na hora de dizer que te amo. A partir deste ponto final passarei da poesia ao acto. Vou ranger pedras umas contra as outras. Mas só um pouco. Afiar orgasmos que desaguam como bicos de lança. Mas só um pouco. Agitar respiração dentro dos pulmões destapar o sol com a peneira coar luz sob a cumplicidade das velas. Mas sou um pouco. Incomum. Como um de nós.

49 comentários:

Shakti disse...

Tenho pena que não apareças mais vezes...

bj

Cosmunicando disse...

especialíssimo.

Laura disse...

Uma belíssima prosa, adorei a forma como joga com as palavras. Forte e original.

Graça disse...

Simplesmente___________ LINDO!

Mas só um TANTO!


Beijo na maior admiração.

Lara Amaral disse...

Adoro a forma forte como escreves. Seus textos são maravilhosos!

Beijos.

Nanda Assis disse...

acho q vc disse tudo o q estou passando, cansada da mesmice do meu relacionamento q se resume em poema, e qrendo buscar novos ares, sentir a paixão na sua melhor forma, e deixar q vá, e ir.

bjossss...

sou sua fã. escreva mais vezes.

☆Fanny☆ disse...

Como sempre, as tuas palavras tocam-nos pela originalidade, pelo sabor incomum que entra no coração, deixando-nos um sorriso.

Beijinho

Justine disse...

O caudal absorvente dos teus sensos e contra-sensos nunca fizeram tanto sentido. Têm um ritmo que me arrasta, um sentido que me transcende. Que mais se pode pedir das palavras? E dos afectos?
Abracinho, miudo:))

Ana Monteiro disse...

Os teus textos obrigam-me sempre a reflectir mais do que as palavras, só por si, exigem.

Pena disse...

Oh, Brilhante e Fabuloso Amigo:
VOCÊ é um extraordinário poeta que nunca foi imaginado pela simplicidade de um sentir. VOCÊ transcende de genialidade. VOCÊ possui a doçura da noite e do dia claro. VOCÊ é sensível e um perfeito Ser Humano fabuloso e ímpar.
"...Sai. Abala-me no peito. Alveja-te com o bem que me queres. Hei-de vasculhar pétalas até achar flor. Vou esperar pela água até encontrar sede. Hei-de procurar astros até encontrar céu. Vou procurar ondas até achar mar. Hei-de chamar-te com o meu nome até desencontrar o teu. Vou caminhar a pé encontrar vestígios de inspiração na falta que te inspira a não escrever. Hei-de retirar aspas entre frases sem charme e dar-te mais vinte e quatro portas para entrares no meu poema..."

Não é necessário dizer mais nada.
Encanta. Maravilha. "Desenha " em si e nos outros uma vida. Perfeita.
Várias vidas. Perfeitas.
É incomum de fantasia divinal e de sublime magia que delicia.
Em suma, ADOREI, imenso!
Abraço amigo de poderoso respeito.
Sempre a elevá-lo ao melhor que a Blogosfera compõe.

pena

Bem-Haja, pela visita que gostei muito.
MUITO OBRIGADO pela sua amizade.
É uma honra ímpar poder lê-lo.

Val Du disse...

Oi, Heduardo.

Sempre mandando super bem.

Bom te ver lá no meu blog.

Um grande beijo.

mariam disse...

Heduardo,

Fantástica escrita a tua! Como sempre.

é um gosto renovado 'ler-te' :)

um sorriso amigo :)
mariam

O Profeta disse...

Não sei quem vence!
Não sei quem leva a melhor
Só sei que um sorriso teu
Fez desabrochar das pedra uma flor

Com ela teci um tapete
Engalanei a sombra dos teus passos
Escrevi um derradeiro pedido numa pétala
Rogando a infinita ternura dos teus abraços



Abraço

Gerana Damulakis disse...

Já foi tudo dito: texto especial, um bom gosto na escolha delas, as palavras; um uso certeiro das ditas palavras,mirada marcada, que sabe o que quer dizer...
Olha, vou voltar para reler. Foi muito bom.

Dry Neres disse...

A sua translucidez me transformou em lágrimas de poesia. Você como sempre - Indizível!

Mas conta pra mim...

Por que sumiu assim da minha poesia e dos meus dias e dos meus sonos? Para mim, não existe nem Fascínio, nem Pensamento sem os Paradoxos seus... Não existe linha, nem verso ou gole de beleza literária sem a visita sua aos textos meus/nossos de cada dia...

Tanta saudade da saudade sua de mim...

Carla disse...

incomum apenas na magia das tuas palavras e na força do teu sentir
beijo de admiração

caroline lopes disse...

que foda.
você escreve muito bem.
que eu interior interessante.
irei acompanhar seu blog. até.

:)

Menina Marota disse...

Grata pela leitura e desse jogo de palavras fascinante.

Um abraço. (posso linkar este endereço?)

ivone disse...

escrita nua e crua!
despida de floreados como tanto gosto.

mariana emídio disse...

Estou deliciosamente fascinada pela forma como escreve. OBRIGADA pelo maravilhoso contributo para a nossa literatura.
Bj
Mariana

Marta Rosa disse...

Palavras fantásticas!

Andreia disse...

Há pessoas que teimam em ficar... *

Davie disse...

Só consigo dizer que está MUITO bom!

luar tão candido disse...

Amigo! Como vai?
Saudades de ti.

O blog está o máximo!

Beijão.

Anónimo disse...

oi romance ,te ler me faz suar aqui dentro do que é teu.neste poema onde moramos a ousadia literaria é o que nos alimenta.a luz do luar, do sol ,das lampadas sao sinal que estás sempre iluminado.a tua criatividade é TRANSLUCIDA e transluidia.

Filomena Barata disse...

Obrigada pela visita. Voltarei

Sonhadora disse...

Paradoxos
Lindo texto muito bem escrito...gostei imenso
Beijos
Sonhadora

Fragmentos Betty Martins disse...

.__________Hedu





.incomum_______!!!


sim



.

completamente




...



"Hei-de retirar aspas entre frases sem charme e dar-te mais vinte e quatro portas para entrares no meu poema. Chega."





.

tantíssimo!







______________///









beijO______ternO
b.f.semana

Poppins disse...

Como tu escreves bem.

Carmem disse...

Que texto!
Magnífico.

Bju

. intemporal . disse...

. sublime,,, Heduardo .

. sempre .

. entro, para sair com o coração aos saltos . altos . nunca faltos .

. com o teu verbar .


. o abraço de sempre,




. paulo .

Idaldina Martins Dias disse...

Heduardo, que bom chegar ao teu blog e encontrar mais uma das tuas pérolas! Já tinha saudades de me envolver na tua poesia em prosa.
Apesar de não me parecer que sejas um jovem feliz, noto isso nas tuas palavras, peço-te que nunca deixes de escrever pois todos adoramos ler-te.
Beijos carinhosos
Idaldina

Souza disse...

gostei
muito bom

:)

Apenas eu disse...

ler-te é ficar sem ar. porque não quero parar nem mesmo para fazer a pontuação. tens um jeito muito diferente e especial que nos/me agarras até á ultima letra e só respiro no ponto final.


Desejo-te uma boa semana não sem antes te dar os meus sinceros parabéns pela escrita que parece ter mãos que nos prendem aqui.

Eu sei que vou te amar disse...

Fantastico! A tua escrita grita, fala e anuncia a criatividade dos teus sentires!
Bravo meu lindo

Talita Prates disse...

MARAVILHOSO!

Aplausos....********

Bjo. :)

wcastanheira disse...

Nossa a forma como vc associa palavras e atos é contagiante, vai fundo, cala nas entranhas, é uma loucura, um apelo às tentações mundanas, parabéns vc está divinamente belo, abraços...

Nádia disse...

adorei... principalmente esta parte: "Hei-de vasculhar pétalas até achar flor. Vou esperar pela água até encontrar sede. Hei-de procurar astros até encontrar céu. Vou procurar ondas até achar mar."


trabalhas as palavras com arte! parabens

beijinho

Helena Gomes disse...

muito bom! (:

eu disse...

Tenho alguns esgares de palavras

Balbucios absolutamente completos

Não sei palavras que escrevam

Sei lalar. Lalo muito

musicalidade dizente

- Não entendem?

Lalem!

ana p roque disse...

Lindo texto,sentido!
Nunca é tarde para se mudar o que está mal,não basta só querer,é preciso ter força de vontade e por vezes passar da palavra ao acto!
Grata pela visita ao meu blog.
Beijo

AC Rangel disse...

Magnífico grito, ora de comando,ora de abandono. Ultrajante destino buscado e repelido, ausência de tudo, presença do nada.
Parbéns. Obra maravilhosa.

Rangel

katie. disse...

brilhante. e não é só um pouco.
kiss

Anónimo disse...

Como te consegues inventar nas palavras? Como consegues surpreender de forma incomum?
O que terá o fundo dos teus olhos? é de cristal a alma que te foge nas palavras?
Não encontro adjectivos para a beleza que se lê em ti. Apenas me interrogo: o que virá depois?
Um abraço,
Graça Magalhaes.

maria m. disse...

começo por dar-lhe os parabéns pela menção honrosa que recebeu no Aveiro Jovem Criador 2009 (estive na inauguração). vim "espreitar" o seu blog e gostei bastante deste texto, uma linguagem poética única e intensamente criativa. continue sempre :)

Virgínia do Carmo disse...

Muito intenso - na forma e no sentir...

Grata pela passagem pelo "meu" lugar!

Saudações literárias :)

maria manuel disse...

obrigada pela visita ao meu blog. disse que estive na inauguração do Aveiro Jovem Criador, mas não como concorrente; foi a minha filha quem concorreu na modalidade de fotografia.
penso que deve continuar a concorrer a esse e outros concursos e eventos ;)

gabriela rocha martins disse...

baH!!!!!!!!!!!!!!!!!
rendo.me
excelente poema



.
um beijo

Miguel disse...

Forte, tão forte que me deixa quase sem palavras. Pensei que seria difícil deixar-me surpreender, depois da primeira magnifica impressão com que fiquei, mas enganei-me. A cada poema feito prosa tão do meu agrado, descubro sempre vontade de me perder nesse emaranhado aliciante de palavras, ler e voltar a reler uma e outra vez, como quando nos deparamos com algo que julgamos não poder existir. Cada prosa é um jogo perfeito, um labirinto daqueles que não apetece sair. Parabéns.