sexta-feira, 15 de julho de 2011

18 comentários:

ღPat. Rochaღ disse...

As vezes é difícil desatá-las!

Linda imagem, como sempre.
Um Beijão Hedu

Tania regina Contreiras disse...

Expressivo poema em imagem! Adorei...
Beijos,

Luís Coelho disse...

Será que consegue desatá-las ou reapertá-las...??

Edu Lazaro disse...

As pedras no sapato dos pés dos ouvidos prendem-se em fios de costura com os quais os pontos são dados de palavra em palavra despencada. E o peso...

Anónimo disse...

Palavras presas por fios numa pedra que o unico instinto que tem é querer é soltar-se da boca

elvira carvalho disse...

Há muito que não vinha por aqui...
Gosto do post mas às vezes é tão difícil desatar essas palavras.
Um abraço e bom Domingo

jardinsdeLaura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jardinsdeLaura disse...

... será isso largá-las na Vida?!

sonjita disse...

Desatar as palavras, palavras que dançam e balançam... rolam e enrolam, dão laços e nós... ficam ali, prendem-se com força, e não deixam sair, as restantes palavras que o coração quer soltar...

;)

Dry Neres disse...

Será que a gente desata mesmo?

Eu não sei onde começa o Hedu e onde terminam as palavras... Ou vice ou VERSO! rsrsrs...

Amo-te amigo!

Justine disse...

São palavras pesadas:)))
E a metáfora está excelente!
Abracinho

Ana Si disse...

é fácil fazê-lo ... fala fala fala mesmo que sem sentido...

entre mil coisas sem sentido a essência revela-se ;)

Filipa Sousa disse...

Olá estou de volta.

Por vezes vontade não falta...mas quem as merecia ouvir ou não as aceita ou leva a mal e faz ouvidos de mercador ou então são pessoas que nem as merecem ouvir. Além disso já cheguei á conclusão que mais vale adormecer certas palavras porque a vida é demasiado curta para se desperdiçar com palavras que nos dias de hoje~quando não são o que querem ouvir são sempre mal recebidas.

Bjs grandes

otário disse...

(: ehheeh
meu caro, parabéns!
tenho muitas palavras
atadas cá dentro de
momento...
de facto.

Paulo Gomes disse...

Só os desesperados se penduranm no abismo
Como único socorro prender as palavras de desespero em pedras
Pedra ser sem vida que ganha vida com as palavras do orador

Palavras presas numa pedra
Como o desesperado pela mulher amada
Que evita o apaixonado

Lyra disse...

"Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos. Enquanto o amor passa, a amizade volta, mesmo depois de ter adormecido um certo tempo."

Já tinha saudades.
Beijinhos e até breve!

Lyra ;)

jardinsdeLaura disse...

... e dar voz à liberdade de expressão!! Adorei! ;)

Glimpse disse...

Sinto.

Obrigada pela visita.

Abraço.