sábado, 15 de outubro de 2011

Germinação
Ainda que plantássemos
respiração nos vasos sanguíneos
nem assim saberíamos germinar sem a ajuda da poesia,
a não ser que as palavras se rebentassem
a um grito de distância da boca.  

4 comentários:

Sonhadora disse...

Poeta


As palavras são andorinhas sem asas voando nos sonhos do poeta...são os segredos da memória...prendem e asfixiam...escrevem e descrevem quase nada e quase tudo...são a viagem de um fim incerto...arquivos a preto e branco.

deixo um beijo
Sonhadora

OUTONO disse...

..a não ser que a rega gotejante do amor, se transformasse em cravos de dor...e, os vasos sanguíneos fossem artérias entupidas de dissabores...

Abraço poético!

Bípede Falante disse...

Bonito, pulsante, dolorido.

Maria Luíza Chacon disse...

admiro MUITO os teus escritos!