sábado, 23 de novembro de 2013

 
Vamos cobrir as ruas com frases de calibre infinito,
palavras de vida à queima-roupa.
Vamos rualizar a poesia,
tomar de assalto a boca da cidade,
beijar os seus lábiosrintos porque o sonho, 

mesmo perdido em becos sem saída,
muda o endereço do vento.  

 
Porque há ruas que morrem em silêncio
abandonadamente esquecidas na brancura das paredes.

7 comentários:

Carmem Dalmazo disse...

Ruas esquecidas...sonhos desfeitos!...

Beijo

Sónia M. disse...

Que poesia faça morada em cada esquina, em cada pedra, em cada muro...

Belo!

Bom fim de semana.
Abraço

Sónia

Filipe Campos Melo disse...

Ruas de versos cultos
Labirintos de afectos
Porque o sonho escreve-se no sopro do vento

Belo

Abraço

Célia Rangel disse...

Sim! "Rualizemos os poemas"... belas metáforas!
Abraço.

Leonardo B. disse...

[na rua

nos caminhos
nas avenidas traçadas no espaço,
no todo o lugar

a poesia,
respira.]

um abraço,

Lb

Insana disse...

Colorir a vida..
Bjs
Insana

Kátia disse...

Excelente jogo de palavras!Parabéns Edu!Um beijo!