terça-feira, 29 de abril de 2008

47 comentários:

Peach disse...

só mesmo a poesia.

pessoalmente acho que tudo tem um fim, um ponto final.

beijos "poderosos" ;)

Auréola Branca disse...

Olá, Pacheco.
Pois é, nada que uma boa escrita não cure.
Gostei mesmo.
Abraços, meu caro.

Val Du disse...

Dê um ponto final e recomece.

Recomeçar e finalizar...isso não tem fim.

Enfim, cá estamos nós de novo e novamente.

Um beijo.

Arnaldo Trindade disse...

Pacheco,
em caso de emergencia tenha : dinheiro,um celular,uma mochila com algo comestivel, um amigo e muita paciência.
Passe no meu blog e verá o que realmente nunca acaba amigo.
Realmente escrever é o melhor remédio e a melhor forma de sempre recomeçar,pois se tu quizeres pode fazer de cara ponto final,um ponto a seguir ou apenas o fim de um parágrafo,de um poema ou texto que poderá virar um dia um livro ou ate uma coleção inteira deles,como é nossa vida,uma coleção inteira de historias que não acabaram nem mesmo quandomorrermos pois sempre terá alguém,amigo ou parente que estará contando nossa história de um modo diferente ao seus filhos e por aí vai.

Abraços amigo.

ariana luna disse...

Abrem-nos asas onde antes existia o medo da partida.

EDUARDO disse...

Peach

Sem dúvida! Concordo contigo. A poesia percorre e ultrapassa qualquer tipo de limitação... É intemporal. Tem vida própria e prossegue além da vida do seu literato!

Beijinhos sem ponto final

EDUARDO disse...

Auréola Branca

A escrita cura tudo até a falta de inspiração que por vezes habita dentro de uma folha :-)

um beijão cara amiga, na tua cara! :-)

EDUARDO disse...

Val Du

Cá estamos nós de novo e novamente com uma mente nova e renovada!

beijao novinho em folha estimada Lady

Claudia Perotti disse...

é verdade!
Beijinhosssssssss

EDUARDO disse...

Arnaldo Trindade

Profunda reflexão, a tua!

Em caso de emergência agarro-me a mim e escrevo a minha coragem no dia de ontem mutiplicada no dia de hoje...

Um forte abraço, emergente em ti amigo!

EDUARDO disse...

Ariana Luna

O teu comentário é um breve poema!
Gostei Luna
Beijinhos do tamanho da lua!

EDUARDO disse...

Cláudia Perotti

És sempre bem chegada por aqui, nunca te esqueças de chegar mais vezes!

Anónimo disse...

Há sempre muito mais para alem do fim,há uma voz por detrás do 112 que lê os dedos tremulos de quem escreve.
Luisíndia Caetano

anamarta disse...

Há sempre um Recomeçar!
Gostei muito.
beijos

bekeflowerlee disse...

Vou escrever, podes crer!

Beijão

EDUARDO disse...

Luisíndia Caetano

Adorei essa do 112
poderosa!! :-)

Beijão sem término!

EDUARDO disse...

Anamarta

Ainda estamos no princípio...

Um poema não se fecha... Cabe ao leitor fazer desabrochar os versos ainda por semear...

Beijinho, final...mente
:-)

EDUARDO disse...

Beke

Escreve, escreve sempre foi o que sempre me disseram! Sabe a delícia inspirar alguém!
:-)

Betty Branco Martins disse...

querido_______Eduardo





.é uma realidade




nunca um________________________________._________

Oxyder disse...

é verdade edu! tu estás lá... estás a dominar :D

concordo ;)


abração

p.s.- tens mimiminhos no meu blog ;D

Janete Andrade disse...

os meus não se encerram nem mesmo com um ponto final. estão bem além dele! ;)

=*

xanata disse...

huum.. adorei :D

Sérgio Figueiredo disse...

Escrever é a cura de muitos males. A poesia, são palavras que se escrevem e que nunca acabam, mesmo com o ponto final.

Bonita mensagem.

Abraço Forte

Perla disse...

Muito bem!
Gostei.
Bijinho

*.Giulia Perotti.* disse...

Olá!

Escrever, um verdadeiro tranquilizante! É quando passamos tudo que sentimos para fora de forma rítmica, dançante... E os sentimentos nunca acabam em um ponto final, amanha estaremos novamente os colocando para fora em um poema em seqüência! Um ciclo inacabável, uma sensação única!

Beijinhos

Cöllyßry disse...

Assim é num poema, pode sempre acrescentar algo, já na vida tudo tem um fim...

Doce beijo

Luis F disse...

O Mar de Sonhos está a celebrar o seu primeiro aniversário. Venho assim agradecer a todos os amigos, aos leitores, a todos os que me ajudaram ao longo deste ano de vida.

O meu obrigado pelo vosso carinho e amizade.

Com amizade

Luis F

OUTONO disse...

Que nunca te falta a alma para a escrita...amigo.

E quando estiveres, sem esperança...escreve!

Encontro de Almas disse...

Concordo contigo...eu raramente coloco o ponto final de um poema..porque é algo que nunca termina...

beijinho

Brancamar disse...

Esta frase é muito mais profunda do que parece. Realmente as frases de um poema não se fecham nem com um ponto final, nunca mesmo.
Quantas vezes quero comentar um belíssimo poema e não consigo, porque ele está tão vivo, tão pleno de emoções que extravasa o próprio texto, está para além dele,transmite uma série de imagens e vivências nas suas metáforas, que nos pode transportar a vários mundos...
E se o leres no dia seguinte pode ainda dar-te sensações novas, interpretações diferentes.
Gostei de te conhecer.
Um abraço

NAELA disse...

Eduardo nunca se limita os sentimentos...pois eles dão vida á historia tal como o poema infinito que cobre as nosas vidas!
Beijo poetico:)

sonjita disse...

É verdade... mesmo com um ponto final um poema deixa sempre espaço para voar um pouco mais e para a nossa imaginação viajar nas palavras que ficaram por escrever...
BJokas

Pena disse...

Genial Amigo:
Um ponto final é o fim.
A poesia nunca termina na existência sentida e vivida.
Dá lugar a momentos e instantes de reflexão pessoal, muito particular e maravilhosa.
Perpetua-se nos versos intermináveis. Abarca o infinito do ser humano.
É um fantástico poeta. Parabéns sinceros.
O seu sentimento expresso é soberbo de significação linda.

Abraço amigo que o respeita imenso.
Com uma valiosa e inequívoca estima.

pena

Rosa disse...

Mesmo sem emergência: escreve! :)

Xinha disse...

Escrever é remédio para vários males! Escreve e ponto final.:)

Carla disse...

é mesmo isso que eu faço Eduardo...escrevo em, caso de emergência, de dor, de alegria...escrevo!
bom fim de semana
beijos

EDUARDO disse...

ESCREVER É A NECESSIDADE BIOLÓGICA DA ALMA!!




Beijos e Abraços em nome dessa necessidade que nos une e reune neste WC colectivo :-)

Leonor disse...

Escrever é a necessidade biológica da alma... gostei, assim como do post.

Eu, que também preciso de andar todos os dias, necessidade biológica do corpo e da alma, diria que as duas se complementam. em mim, infelizmente, não em poesia, mas em texto corrido. cada um com seu mester.

bom fim de semana

mariazinha disse...

um bem essencial, a poesia.

:)

beijo*

M. disse...

Por todas as cruzes ia jurar que já tinha comentado isto. Andas a censurar-me às escondidas eu sei...
Sempre vírgulas, traços, espaços, parêntesis e descontinuidades. O ponto final é só mesmo isso. Um FIM.
Avisa-me a tempo se te resolveres por esses lados.. :)

Beijo

Corvo Negro disse...

A poesia, pretendo-a selvagem.
As palavras são naruralmente a minha paixão.

Muito obrigado pelo registo no "Corvo Negro". É bom ser apreciado por uma mente análoga.

Muito prazer em conhecer este teu espaço.
Bem hajas.

Clara disse...

Adoro este pequenos excertos de palavras.

Beijinhos.

Clara disse...

Adoro este pequenos excertos de palavras.

Beijinhos.

«« ڱemöґïvö »» disse...

=D
Concordo*

Exatamente, entralinhas é tudo!
Ray

Poemas e Cotidiano disse...

Simplesmente demais!
Tocou fundo esse!
Bjs
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

A emergencia de escrever. Ando sempre com um papel e lapis na bolsa... esteja onde estiver, se me vem um insight, eu escrevo. Porque ele certamente vai se perder na confusao do meu dia. Ao escrever, eterniza-se. Pelo menos provisoriamente.

Beijos
MARY

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,