sábado, 2 de maio de 2009

Poematório
em primeiro grau

Cervejo-te num copo vazio de espuma. Não te bebi os sonhos esta noite. Estou sovinho no quarto com uma garrafa de poemas apontada à cabeça. Entorno uma lágrima pelas escadas abaixo. Engulo de um só trago o desejo em torno da pele. Procuro a bússola às apalpadelas. Dizem que quem te língua vai ao aroma dos teus lábios. Eu prefiro continuar adormecido. Não há melhor abismo que acordar de um sonho pornográfico e reparar que o mundo melhorou um pouco graças ao nosso amor. Prefiro continuar em vigília. Sem anestesiar o coração. Estou-me nas tintas para a métrica desobediente que uso em cada verso!

Um poema é muito mais que poesia. É um precipício de corpo inteiro em queda livre!

Mesmo sem o teu com sentimento fumo as cartas perfumadas que não chegaram. Torno-me socorrista voluntário dos teus desabafados. Do mundo apenas quero um pedacinho para levar para casa. Só! Respondo aos teus poemas com sotaque de silêncio como quem responde indignado a um insulto obsceno. Invento a brandura das estrelas para apaziguar aquelas discussões quase domésticas logo pela manhã com medo que os caçadores furtivos viessem durante a noite para nos assaltar a lua. De nada nos serviu. Nem a carapuça.

Como um camaleão. Mudas de palavras conforme o sentimento onde te encontras. De tanto te dizer o que sinto acabei por me desdizer no que sou. Peço licença a solidão que habita no quarto ao lado. Entro. Dou cambalhotas com a vida. E saio. Fecho-me à chave debaixo dos lençóis. Sustenho minutos que não vêem escritos nos relógios. Sustenho vertigens dentro dos olhos. Interrompo a linguagem irrequieta que sustenho no dedo que indica a dor. Ariscas a vida o sangue a carne os ossos riscas a folha o espelho o rosto com cacos de algodão de vidro. Sou mais caçador que furtivo. As palavras são a minha pressa. Sem olhar nem para um lado nem para o outro atravesso a estrada fora da passadeira. Passa por cima desta coisa que me faz sentir e risca-me a alma como quem risca um fósforo.

Estou-me nas tintas para os alfinetes com os quais alfinetaste o pára-quedas quando saltei o meu corpo pela janela. A inutilidade da escrita sinto-a na hora de ficar calado! E nas tintas só estou de vez em quando quero pintar as rosas da cor da vida que não é. Quando és o sabor de um fruto antes de amadurecer. Quando nem todos os caminhos vão dar ao teu aroma. A inutilidade das palavras sinto-a não na hora de ficar calado mas um minuto antes do bolor contaminar o pressentimento que quero vomitar. Mas não vos imito. Ainda transpiro o bálsamo fresco da memória como se da infância nos conhecêssemos. Ainda brinco às escondidas com a felicidade como era antes. Molho-te com passos de dança em cima de poças de água. Agora cuida do presente. Cuida do ar em movimento à velocidade de um sopro de vento. Poeira. Adubo. Seiva. Fermento. Cuidado com a mania de fabricar naufrágios fora de horas. Os espelhos não se rasgam com as mãos. Cuidado ao tentares domesticar a palavra infinito. O tempo não deixa gorjeta.

Bordei o luar. As ondas. A espuma. A areia. Por hoje termino aqui. Frente à praia. Apetece-me acordar noutro lugar da minha loucura e não mais pensar no assunto.

96 comentários:

Carlos Alberto disse...

Como sempre, a agradar o público.
Foi bom lê-lo, um dia chegará a minha vez de brilhar:)
Abraços

Carlos Alberto
www.diariobrigatorio.blogspot.com

Poemas e Cotidiano disse...

Hedu...querido.
Sem palavras no momento a nao ser um sentimento de extase. Isso que
sinto ao ler o que voce escreve.
Acordei agora...e li seu texto como
se le um livro novo, cheirando a
paisagem. Seus textos tem cheiro de livraria, do inusitado, do nunca na vida lido ou pensado. Adoro isso!
Voce me conhece...preciso voltar. E reler. E depois "triler"..
Por enquanto eu vou para essa praia, acordar num novo lugar com voce.
Depois volto.
Um beijo meu amigo. Sem palavras para dizer o quanto te gosto.
MARY

Palma da Mão disse...

Arrebatador!Amei!!!
Muito, muito bom mesmo!
Até tou assim , sem saber muito bem o que hei-de dizer, mas amei mesmo!
Beijinhos
Liliana

JC disse...

"Um poema é muito mais que poesia"; esta frase marca todo o texto. Um belo texto de prosa poetica, um texto que nos deixasem palavras para o comentar, tal a expressividade e o sentimento com que escreves.
Um abraço

Fa menor disse...

Então vive... borda palavras de sangue e espuma... e não penses mais no assunto.

Beijo

Flor de Lótus disse...

BOA TARDE.
"A natureza é grande nas coisas grandes e grandíssima nas pequeninas."

(Saint-Pierre)
UMÓTIMO FINAL DE SEMANA.

Cosmunicando disse...

que belo texto... seus trocadilhos não são gratuitos, ao contrário, nos projetam em inúmeras leituras.
E nos precipitam de corpo inteiro em queda livre...



beijos

Shakti disse...

Que bom é chegar aqui...

bj

Menina do Rio disse...

Desculpe a minha ausência mas tive que trabalhar dobrado estes dias de abril, pois precisava pagar o registro e a capa do meu livro. Era uma oportunidade que eu não podia deixar passar. Agora vou retornando as visitas aos poucos, mas hoje tinha que vir aqui ao menos pra deixar-te um beijo.
Tem um ótimo domingo!
Verô

pepita chocolate disse...

Prosa poética divinal! Amei!

Beijoca!

Peter Pan disse...

Admirável e Fraterno Amigo:
Que poderei dizer...?
"...Estou-me nas tintas para a métrica desobediente que uso em cada verso! Um poema é muito mais que poesia. É um precipício de corpo inteiro em queda livre..."

Realmente é fabuloso, indescritível de beleza gigante este seu...talento, maravilha de sonhos e construção ímpar de um sentir que é seu e é sublime.
Incrível de génio, de pureza dos versos, de agradabilidade de sentimentos.
Incrédulo pela sua magia...
Perplexo por estar aqui..
Abraço daqueles muito fortes de admiração e respeito imenso..

pena

FABULOSO...DIVINAL.
Excelente...
Silenciado dado o pasmo perante tanta beleza literária...
OBRIGADO por lê-lo, gigante amigo.
Bem-Haja enorme.

Paulo - Intemporal disse...

F
e
l
i
z

d_____i_____a

d
a

M__________Ã__________E

hoje e sempre.

íssimo.

© Piedade Araújo Sol disse...

uma maneira peculiar de escrever que direi ser autêntica prosa poética.

a construçao das palavras! Sublime!

ah, como eu gostaria de escrever assim!

fica um beij

Apenas eu disse...

Adoro a forma como brincas com as palavras, como as juntas e as separas e dás-lhes vida diferente, "estou sovinho" é apenas um exemplo...

"Apetece-me acordar noutro lugar da minha loucura e não mais pensar no assunto." esta frase diz-me muito.

Parabéns pelo excelente blog, pelas palavras que dão uma excelente Sangria...

beijo

Paa disse...

ADOREI ADOREI ADOREI! *--*

(Un)Hapiness disse...

acordar longe. é tão possível quanto maior for a nossa loucura...saudável...

**

Anabela disse...

Sinceramente não sei o que gosto mais neste Blog... As palavras do poeta claramente abrem-nos caminho ao banquete da palavra mas os comentários... :) os comentários são divinos.
Bj na testa do Poeta ;)

Afonso disse...

"Cuidado com a mania de fabricar naufrágios fora de horas. Os espelhos não se rasgam com as mãos. Cuidado ao tentares domesticar a palavra infinito. O tempo não deixa gorjeta."

Achei absolutamente fabuloso.
Nada é eterno. Mania a nossa de achar que sim...

Joli disse...

Obrigado pelo comentário :)

Eu prometo ler-te mal tenha tempo ^^

Beijinhos*

Ciça disse...

Lindo... adorei...

vc é mto bom

obrigada por alegrar meu dia com tão belas palavras...

Porcelain Doll disse...

O silêncio... sábio cruel que nos deixa a adivinhar... sou incapaz de deixar a adivinhar, grito a verdade em altos berros, mas soam a silêncio os meus gritos aos ouvidos alheios, que não me ouvem, apenas escutam ruído, estática, talvez...

Permite-me que eleja também a minha parte favorita: " Um poema é muito mais que poesia. É um precipício de corpo inteiro em queda livre." Extraordinário!! :-)) E poema é tudo aquilo que sai puro da alma, em que as palavras fluem não se interpondo entre o sentir e o grito que é dado cá para fora...

Todas as paixões e todos os amores que aparentemente nos fazem sofrer, fazem-no por virem fora de horas, descontextualizados, são frutos antes do amadurecer... acho eu... :-))

Bj

GMV disse...

É verdade que "não te bebi os sonhos esta noite"... bebi-te as palavras, porque tu, Eduardo, tens essa capacidade única de saciar a sede de belas palavras, arrumadas em sintaxe de nome próprio: o TEU.

Para mim, és o Poeta.

Um beijo meu/teu/nosso

segredo disse...

ParadoXos...
Como gostei de "te" ler!!! Brincas de uma forma maravilhosa com as palavras;)
Beijinho de lua*.*

Cristina Correia disse...

“Poematório em primeiro grau” poema de arrebatar o espírito de tão imenso!
porque «…Um poema é muito mais que poesia. É um precipício de corpo inteiro em queda livre…Interrompo a linguagem irrequieta que sustenho no dedo que indica a dor…» Paradoxos. e sinto «o enlace entre a alma e o humanismo, a única e singular assinatura do mundo - o respeito, o afecto e amizade que damos uns aos outros.» cccerne e verso.
abraço.

•.¸¸.ஐBruneLLa França disse...

Pois não se pode desejar final melhor... Frente ao mar... Também quero assim!

Beijos e borboleteios

Tchi disse...

O trabalho de sentir é grato a quem recebe a expressão da alma

luar tão candido disse...

Oi querido!
Texto maravilhoso!

Bjos

luar tão candido disse...

Oi querido!
Texto maravilhoso!

Bjos

Eu sei que vou te amar disse...

Wow!Um toque perfumado ao sabor das palavras arrebatadoras de quem escreve com a mestria de um cirurgiao!
Um beijo doce

Maria Valadas disse...

Prosa poética que me deixou anestesiada.
Ah... como gostava de ter este teu DOm das palavras!

Beijo meu.

Maria

Dry Neres disse...

Sabe qual a minha vontade? Tocar-te, só pra ver se és mesmo real?

Anjo, já não sei até que ponto és humano... Reviro-me na tua escrita e de olhos arregalados como criança quando caminha sobre cordas... desenho-te! Recordo-te, sem ter-te visto em carne e poesia traduzida em corpos!

Soluço de emoção e a leitura que faço das suas mãos é antes ato de respirar... É mais que visceral...

Que me perdoe Guimarães, Machado e Neruda... Amo-os... Mas você, Paradoxos, está num degrau mais elevado do dançar com a palavra. Sou tua fã, fato consumado de fascínio meu!

Amo seu ato de parir palavras... Amo em desespero!

Meus beijos... De fascínio.

Andrea disse...

oiii.. gostei muito deste teu ultimo texto :D, como prometi vim ca ver o k se passava hoje li o ultimo depis venho com mais tmpo evejo o resto :D entao ja sabes qual das fotosa do meu blog vais por? beijinho*

Talita Prates disse...

Salve a metáfora!
rs
Gostei muito, parabéns!
Obrigada pela visita e pelas palavras.
Abçs,
paz.
E volte sempre!

maria josé quintela disse...

sem fôlego.


depois de ler as tuas palavras em verdadeira queda livre.



um beijo edu.

Poemas e Cotidiano disse...

Hedu querido,
Vim "duler"....rs Como gosto de ler seus textos. Sabe por que? Deixa eu te contar.
Eh porque a primeira vez que leio, eu sinto o impacto! Depois, eu venho ler as palavras diferentes que voce coloca (eu as adorooooo!), depois vou cita-las quando "triler" (rs). E na ultima leitura eu tiro a seiva, uno todas as sensacoes que tive, os impactos, as palavras, e comparo com o que sinto.
Voce sempre me faz pensar nas coisas de uma forma diferente. Gosto disso!
Entao, eu volto, ta bom?
Um beijo querido
MARY

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Olha,
a palavra parada;
Luta,
por letras ocultas;
Ouça,
os versos internos
Solta,
a nudez poética;
Escreva-se,
poesia
ao menos um dia,
Seja.

(Maísa)

Desejo uma linda semana com muito amor, esperança e carinho.
Abraços.
Eduardo Poisl

Fernanda Fernandes Fontes disse...

Para que pensar se as raizes d'alma se mesclam as das letras?
Seguir, sentir e levar...

Bjs

Val Du disse...

"De loucura em loucura vamos sonhando". Hehehehehehehehe.

Texto bem sacado e humorado,gostei.

Beijos.

Paola disse...

Dizer que gostei... é pouco Absolutamente nada. A não ser a minha verdade... O modo como tratas as palavras, como jogas com elas, as imagens que crias... a poesia. Ai, a poesia!!

Saio confortada...

Beijinho

Lmatta disse...

belo texto
beijos

Menina do Rio disse...

Bebi-te...

Deixo-te beijos

sonjita disse...

...perco-me nas tuas palavras.... lindo!

variações disse...

Grande texto.

abraços

jardinsdeLaura disse...

Heduardo,

Excelente texto! Surrealista! Reinventas palavras e com elas seus cem sentidos... ou será seus sem centidos?! Pouco importa! Gostei!
Mas diz-me uma coisa andaste a ler Boris Vian foi?! Até hoje não lhe conheci "equivalente" na nossa língua... será que estou perante a versão portuguesa desse grande escritor (e músico)?! Hummmmm... mas que grande desafio!
Vai dando notícias que eu já decidi ficar de olho no teu Blog!

jorge vicente disse...

aqui a vida sente. e é poema. que não é. que é mais do que as palavras todas. que são inutéis perante o corpo.

um grande abraço
jorge vicente

clarice ge disse...

sem tempo de ler... estou a poucas horas de voar (literalmemente ou físicamente, como queiras)pr'uns dias de tudo que preciso agora... passei uma vista d'olhos, rss. sentí magia e isto nos aproxima.
por 'hora', deixo um carinho.
me aguarde e lerei tudinho!

por hoje deixo meu carinho

Andrea B. disse...

Obrigada por sua visita, aqui encontrei um jardim imenso de sensibilidade...;)

Bjos pra ti

AnaMar (pseudónimo) disse...

Hoje acordei noutro lugar da minha loucura. Mas o assunto não me sai da cabeça. E dói.
Quantas vezes terei que partir para recomeçar?

mariam disse...

Heduardo,

___ BELO ___ .

Fascínio é o que sinto p'lo modo como escreves ...

Disse há tempos a uma querida que me visita, que a considerava a minha 'DALI' no modo como gráfica e esteticamente vai poemando no seu blog...

Digo-te agora o mesmo, és o meu 'DALI' das palavras prosa, tão verso! Gosto das obras desse mestre e gosto muito de te ler...

um grande abraço amigo e um sorriso :)

Pequena Poetiza disse...

lindo lindo lindo
adorei sua visita

"Um poema é muito mais que poesia. É um precipício de corpo inteiro em queda livre! "
essa frase realmente bateu fundo em mim.

beijos

Peter Pan disse...

Estimado Amigo
As suas palavras "respiram" e "vivem" num contexto enorme. Inigualável de poderoso e gigante sentir.
Faz delas um "jogo" mágico fascinanate.
A sua escrita vale ouro. Do mais puro que se possa encontrar.
Tem um valor precioso como decora a sua existência. A nossa existência.
Um texto sublime na dimensão plena.
" Plena"...sabe?
As suas palavras vão ao pormenor e pleno de brilhantismo e génio poético.
Fabuloso.
Abraço respeitador e agradecido pela sua amabilidade e transmissão de felicidade de quem o lê com olhos de ler.
Bem-Haja, amigo mágico do ser.
Com amizade. SEMPRE!
Adorei!

pena

Admirável!
OBRIGADO pela simpática visita expressa no meu blog. OBRIGADO!

GMV disse...

Vim reler-te, porque nunca cansa.

Um beijo para o teu fim de semana, querido Eduardo

Delirius disse...

"Passa por cima desta coisa que me faz sentir e risca-me a alma como quem risca um fósforo."

Momento fantástico, este em que "engoli" sem respirar este fabuloso texto. Fico-te grata pela tua visita, apenas pela oportunidade que me deste para conhecer-te!

Amei estar aqui! Amei! É belo este lugar! Deixa-me voltar :-)

Beijo

Clara disse...

Cervejo-te num copo vazio de espuma. Não te bebi os sonhos esta noite.

Eduardo, adoro a forma como trocas as palavras. Excelente, como sempre.

Beijinhos

Jade disse...

Intenso e poderoso este texto...mas com muita revolta à mistura. A tua alma parece cheia...ao contrario da minha
beijos doces e agradeço as palavras que me deixaste

Talita Prates disse...

Obrigada pela visita!
És bem-vindo!
Bjo e paz.

Beti Timm disse...

Agradecida por tua visita, em meu humilde cantinho, mas muito meu!

Confesso-te, que no geral, qdo se recebe uma visita inesperada e desconhecida, ignora-se ou qdo se retribui a visita, nem mesmo se lê, passamos os olhos rapidamente.Eu quase nunca ajo assim, mas literalmente, fui impelida a ler-te com atenção e saborear tuas palavras.
Pensei em comentar as palavras iniciais, mas percebi que muitas me agradaram, ou seja o texto todo. Aguçada sua sensibilidade e aguçada minha curiosidade; gostaria de saber como chegaste no meu blog? Essa pergunta sempre me assola qdo alguém desconhecido me visita, por isso minha ousadia ao perguntar-te!
Agradecida pelas palavras sábias e carinhosas.

Beijos agradecidos.

f@ disse...

Olá e infinitas desculpas... devia evitar pedir pois não existe pior palavra... d e s + c u l p a s...
por há imenso tempo não te ler...
perdi eu... os paradoxos e deixei de sentir o belo das palavras que tem aqui uma cor poética... e +...

vou tentar voltar até Março para reler o que me falta...
organizar se é que eu sei... o meu tempo e escolher o melhor...

Eduardo imenso beijinho
mto mto belo o que escreves duma forma que toca... forte e subtil...
única....
imenso beijinho

Papoila disse...

A mim apetece-me dizer que te adorei conhecer, nas palavras. A solidão por vezes entra até sem pedir licença.
Um Bom Fim de semana
BF

Justine disse...

O teu texto é uma vertigem criativa e empolgante, de onde saio perturbada. Já tinha sôdadi da tua ousadia feita escrita
(acabada de voltar de Cabo-Verde, onde regressarei sempre)

Marlene Maravilha disse...

Caramba! Eu adorei! Senti-me várias vezes cambaleando junto!!!
Muito bom!
Abracos

Cais da Língua disse...

Complexo!

☆Fanny☆ disse...

Edu!!!

Uau! A sério! Até respirei fundo! A tua escrita é original, diferente, cativa-me de uma forma mágica!

Adorei a forma como soltaste a tua alma, tão profundamente poética e ao mesmo tempo sofrida, indignada.

Também tinha saudades!

Beijinhos*

Fanny

Pena disse...

Talentoso e Brilhante escritor Amigo:
Este Post é perfeito.
Um sentir lindo. Fantástico. Poderoso por ser soberbo de pureza e beleza ímpares. A sua magia literária é fabulosa.
Todos os Óscares vão para si.
Quem não ouvir é surdo.

Bem-Haja pelo seu fantástico génio criativo, extraordinário e sensível.
Abraço de respeito que o estima. SEMPRE! De forma gigante.
Com admiração e "fulminado" por tanto talento...

pena

OBRIGADO pela sua amizade que prezo imenso.
É preciosa.

ลndreia disse...

~ Bonito! ~

Lmatta disse...

gostei de ler o teu texto
beijos

Viola De Lesseps disse...

que saudades de te ler...inspiras-me :)

Bjoca

Meg disse...

Caro Heduardo,

Luanda... só hoje vi o teu perfil!!! A cidade da minha infância e juventude, saudades infindas das cores e dos cheiros.
...
Um poema é muito mais que poesia. É um precipício de corpo inteiro em queda livre!É isso mesmo, poeta!

Um abraço a cheirar a acácias rubras.

rui disse...

antes de lhe agradecer..Heduardo
o comentario que deixou no meu blog

queria-lhe dar os meus parabens pela excelente qualidade de textos
que aqui encontrei...nao é facil encontrar um trabalho assim tao bom

lhe deixo um abraco e obrigada pela sua visita.....VOLTAREI

Rui

Ana Si disse...

de longe ... a melhor escrita que já li.

Fizeste tremer sentimentos. Muito bom!

amigo... :)

fiona disse...

Perfeito! Há muito tempo que não lia algo com tanta força... Muitos parabéns. Prometo passar mais vezes :)

Menino Poeta disse...

"As palavras são a minha pressa."

minha pressa de mostrar ao mundo
aquilo que sou penso, e certeza daquilo que amo. é isso ai caro poeta!

Paula disse...

Gosto do aqui leio...
Um grande beijo,
Paula

Carla disse...

o que eu te digo é que me perco de prazer na smetáforas que solta como grãos de areia na minha praia...obrigada
beijos

Baby disse...

Que essa tua verve inesgotável seja eterna, para nosso deleite!

Bjs.

Nilson Barcelli disse...

Magnífico.
És um criativo como há poucos.
Um poema é muito mais que poesia. Foi o que fizeste.
Caro amigo, tem um excelente resto de semana.
Abraço.

Poemas e Cotidiano disse...

Voltei....como eh bom voltar aqui...

"Cervejo-te" que linda expressao meu amigo...que linda, que
linda..quisera eu te-la inventado.
Sovinho - no quarto...

Preferir viver em vigilia, do que anestesiar o coracao...ah!
eu tambem prefiro, viu?

Sabe, nunca imaginei uma lagrima escadas abaixo...a escada do rosto.
"Quem tem lingua vai ao aroma dos seus labios"...(sem comentarios,
a beleza dessa frase..

"Sustenho os minutos que nao vem escritos nos relogios"... esses
minutos sao tao longos, nao sao?

"Riscar a alma como quem risca um fosforo"...incendeia? ou ilumina-se?

Alfinetar o para-quedas, quando o corpo cai pela janela. Querido Hedu,
quantas e quantas vezes...alfinetaram nosso para-quedas? E caimos
assim de uma vez mesmo, sem salvacao, com ferimentos de UTI..

"Ainda brinco às escondidas com a felicidade como era antes" que sentimento
mais comum ao ser humano...e ninguem,ninguem conseguiu descrever dessa
forma...como se mostrasse algo que ninguem soubesse...que lindo Hedu...
quantas vezes brincamos escondido com a felicidade, com medo de que a gente
mesmo descubra "que ela nao eh mais como antes"...

Agora...que frase mais linda e poetica. Essa eu li, reli, trili e quatrili:
" Molho-te com passos de dança em cima de poças de água" Eu o vi dancando,
e sorrindo, e dancando...como um menino arteiro!

Mas essa frase meu amigo querido, ela eh fantastica! diria que eh uma das
frases que eu gostaria de um dia ter inventado, mesmo porque eu sou doidinha
pra fazer isso: "Cuidado com a mania de fabricar naufrágios fora de horas"
Como fabrico naufragios...risos...

"Cuidado ao tentares domesticar a palavra infinito. O tempo não deixa gorjeta"

Hedu, Hedu, que linda essa fraseeeeeeeeee! Domesticar a palavra infinito...
como podemos domestica-la? Talvez tornando o infinito, finito?
Nao o tempo nao deixa gorjeta..que bom se deixasse...estariamos ricos de
sentimentos daqueles mais profundos e coloridos...

Sabe Hedu, quando eu te leio, eu te leio mesmo. Mas nao somente suas palavras.
Como um espiral, uma fumaca de cigarro eu entro pela sua boca, e vou prescrutando
sua alma... Eh como se voce nos convidasse a esse mergulho, e eu vou muito
fundo nele...vou com tudo, vou com aquela vontade de sentir isso tudo com voce,
e tambem, de tirar o proveito de cada uma dessas viagens.

Sempre eu copio e colo seu texto no meu Word. E fico a admira-lo. Lendo-o e
descobrindo os "capitulos"... porque suas palavras sao como correntes...uma se
une a outra e vai indo...uma amarra a outra e a gente vai entrando, como num
imenso tunel do conhecimento de nos mesmos.

Ahhhhhhhhh! Essa viagem foi maravilhosa. Espero pela outra. Posso te
esperar na porta? Com meu vestido florido?

Um beijoooooooooo muito grande, um abraco muitooooooooo apertadooooooo com a
certeza de que essa nossa amizade eh tao florida e colorida, e tao transparente
e tao sincera...

Te adoro Hedu!

Beijao meu querido amigo!
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

PS: Eu ja havia escrito isso faz tempo, mas estava burilando, e pensando...seus escritos sao muito profundos e nao da para um comentario imediato. Ficaria muito superfluo e ele merece uma diagnose...

Beijos querido!
(Sempre tenho um PS). Risos.

Arabica disse...

Hedu,

acordar numa outra loucura,
numa outra página
num outro sabor, precisa-se.

Cerveja levedada em poesia a que bebes.

Abraço

O homem e a mente disse...

"Cervejo-te num copo vazio de espuma" Acho que devim usar esta frase para publicidade de cerveja porque está divinal.

Andei um pouco atarefado, mas estou de volta.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Encantada! É só o que lhe posso dizer, meu querido e ausente amigo, Edu. Os seus textos, belos como sempre.
Não sei se sabe, mas até ontem eu tinha 9 Blogs e participava de 1 coletivo. Tive que fechar 5 e sair do coletivo por problemas que agora não vem ao caso comentar. O meu Blog que faz suceso agora é o FEMININA:
http://blogrenatafeminina.blogspot.com
Se der, venha tomar uma xícara de chá comigo ou pink champagne!
Beijos,
Renata
PS: Vou mandar-lhe por e-mail meus 2 selos personalizados.

Carola Guimarães disse...

(:
Fique à vontade, será um prazer!

Você escreve bem, blog legal! :)

Lmatta disse...

bom texto
beijos

lili laranjo disse...

Paradoxos


Reticentemente...
agradeço a visita e a partilha


Num dia particularmente dificil agradeço a Deus o que de bom me dá...deixo para ti...


HOJE


Hoje, é mais um dia.
Mais um que vem e que vai
E amanhã o dia amanhece de novo
Mas… igual a tantos outros…

Esperamos com ansiedade
Que o dia mude rapidamente
E se transforme em algo diferente
E em que nós possamos sentir essa diferença…

Diferença em tudo que nos rodeia
Em tudo que existe à nossa volta…
E consigamos nessa diferença…
Sermos sempre iguais…
E sermos sempre… mais nós…



Lili Laranjo

frAgMenTUS disse...

q espectáculo! a intensidade com q discorres...a profundidade das palavras e seu sentido...o modo como descreves é original.

fiquei siderada neste excerto que gostaria de o ter escrito:

"Ainda brinco às escondidas com a felicidade como era antes. Molho-te com passos de dança em cima de poças de água. Agora cuida do presente. Cuida do ar em movimento à velocidade de um sopro de vento. Poeira. Adubo. Seiva. Fermento. Cuidado com a mania de fabricar naufrágios fora de horas. Os espelhos não se rasgam com as mãos. Cuidado ao tentares domesticar a palavra infinito. O tempo não deixa gorjeta.

Bordei o luar. As ondas. A espuma. A areia. Por hoje termino aqui. Frente à praia. Apetece-me acordar noutro lugar da minha loucura e não mais pensar no assunto. "

bj grnd

Valdemir Reis disse...

Olá estou visitando este espaço maravilhoso! Parabéns pelo excelente trabalho desenvolvido. Excelente sua publicação, grandioso texto, gostei da expressividade do tema, uma preciosidade, valeu ter passado aqui, muito legal. Feliz e honrado por sua amizade. Temos um PRÊMIO para você lá no blog wwww.valdemireis.blogspot.com, fique a vontade, se gostar leve e pode disbribuir com os amigos, muito obrigado! Assim acredito aquele que caminha sozinho pode até chegar mais rápido... Porém quem segue acompanhado de um amigo com certeza vai mais longe, bem mais longe... Espero sua visita! Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Votos de uma semana recheada de sucesso, muita paz, saúde, brilho, bênçãos, proteção e alegria. Fique com Deus. Um abraço fraterno.
Valdemir Reis

Lilazdavioleta disse...

Um poema é mais que poesia ...
Adorei .

beijo

lili laranjo disse...

paradoxos
Eu gradeço a tua presença no meu cantinho..
um beijo

Já pode levar o selo...que tenho no meu blog

Obrigada

M.P.A. disse...

Ler seu texto me fez muito bem. Parabéns pelo espaço. Bjs

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Queria fazer uma espécie de súmula, retirar uma ou outra citação tua para te dizer como a tua escrita faz mexer, mas provavelmente teria de citar o texto todo. Fico-me, por isso, pelo elogio sentido (e olha que nao os costumo fazer gratuitos) a este blog em geral e ao que li ate agora.

Um grande grande abraço :=)

Silêncio Prateado disse...

Obrigada pela tua visita no meu cantinho.
Deixo um abraço

Anónimo disse...

E de depois do tudo
Uma lullabye
Em que a palavra
Se acalante
Porta de Sonho ao nunca
Mudez
da Humanal imperfeição
De um grito adentro

Graça Magalhães disse...

Amanhã acordarás no outro lado da tua loucura e o poema se fará em palavras riscadas e profundas.
Abraço-te.

Graça Magalhães

euexisto disse...

Muito bom. Adorei!

Muitos parabéns. Foi uma surpresa agradável descobrir este blog.

Haja saúde!

Maria Rosa disse...

“Cuidado ao tentares domesticar a palavra infinito.”

O infinito é a viagem à grande escuridão cósmica, onde falham todas as nossas medidas. Entendo-o como a viagem surpreendente do cerne em que emerge, do mais absoluto breu, milhões de sois.
O infinito é uma viagem tão pessoal e intima na imensidão cósmica de cada um de nós, onde tudo esteve, onde tudo está, onde tudo sempre estará, perante nós pulsando a Luz indomável de Deus.

Domesticar o infinito?
Domesticar a surpresa improvável?

que ideia essa a tua… :)

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,