terça-feira, 5 de outubro de 2010

Finituridade   
Se há coisa que não desejo a ninguém é descascar as nuvens como se laranjas fossem gomos de chuva descendo pela espinha dor sal do mar.

Isto é só poesia. Eu sei.

Morde na minha boca as palavras que se calam nos teus lábios carmudos. Água-me a sede desse doer tão doce. Sim. Isso mesmo. Molha-me. Traz-me um copo cheio como se tivesses soluços no olhar. Lavra. Cultiva-me. Ser penteia os sentimentos. A respiração e a folha em branco em cima da mesa. Não sei porquê. Acho-te mais poética com o cabelo desarrumado.

Enquanto os braços se renderem aos sonos que trazes colados no rosto.

Apanha as pegadas espalhadas pela casa. Amor. Pega-me ao colo com a força da tua vontade. Não quero amarrotar o chão com os meus passos. Se os caminhos continuarem a passar de que nos vale ter tanta pressa? De que me vale. Amor. Tocar a sílaba tónica por entre os dedos ou manchar lençóis com silêncios em contrabaixo ou chamar pelo teu corpo para me ajudar a desmanchar a cama?

Enquanto escrevo isto.

Contagia-me com as tuas asas. Voa-me todo de uma vez ou cai a pique no poema côncavo que cavo aos poucos. Porque se há coisa que não desejo a ninguém é ter insónias na voz e engolir o timbre dos búzios em dó menor.

Enquanto esta carta tiver a data de ontem. Não coloques vírgulas na alma. Nem na poesia.

Semeia o sol por dentro para bronzeares a epiderme do coração. Semeia-o. Na fundura das nuvens já descascadas. E nas pedras que se tornaram corpo. E nos versos que escrevi baixinho para não te adormecer. E nos semáforos inapagados iludindo a cidade.

Enquanto as memórias recuarem até ao presente.

Deixa cair o voo das palavras e dá poesia aos que deixam folhas em branco por não conseguirem terminar o sentimento.

Por hoje.

Finito-me.
A Poesia seja convosco!

   

35 comentários:

OutrosEncantos disse...

ESTE é o mais belo poema que escreveste, talvez por não estar o sentimento terminado...
Eu adorei!!!
Lindissimo, com tanto de imenso sentimento!!!
TU és poema, Heduardo!
Beijos.

S* disse...

Dentro do que não faz muito sentido,
e um texto bonito.

tati_nanda disse...

aaahh que lindo poemaaa..
sabe?
adorei..
^^
beijins
bom dia

http://zonzobulando.blogspot.com/

OUTONO disse...

Fico....no interior da nuvem...com a tua poesia...e segredo-lhe cantos de prazer....

Um abraço!

Aмbзr Ѽ disse...

todo meu medo nessas linhas...

algo de tão belo, que me senti dentro dessas palavras.

Carmo disse...

Um bonito poema, cheio de sentimentos.
Boa semana

Anjo Negro disse...

olá

Por vezes gostava de conseguir passar para o papel sentimentos tão belos como os que aqui li. Deixei de acreditar nas histórias de encantar o que é pena... sempre me traziam alguma inspiração para escrever como fosse uma menina que vive incessantemente em busca de um príncipe encantado.
(Sou tão tonta... eles já não existem!)
Viva ao amor, viva ao silêncio de um olhar que preenche tudo sem que uma palavra seja pronunciada. Viva a compreensão porque nem tudo corre como esperamos! viva a sinceridade e ao simples momento que chamo tempo de olhar/observar, sem pensar no amanhã, sem pensar no fim de nada.
Como é tão bonito escrever e ler sobre o amor. Pena que não seja correspondido, que não existam explicações de um amor.
Desculpa o desabafo, mas as tuas palavras deram-me para reflectir no quanto eu gosto de alguém que já não gosta de mim.

Boa tarde e bom feriado
desculpa a invasão de espaço.

Josiel Dias disse...

Olá meus amigos; Graça e Paz.
Parabéns pelo conteudo deste blog, marcarei presença todos os dias.
Gostaria de aproveitar a oportunidade e compartilhar o nosso “blog”:Gostaríamos muito de contar com sua visita e comentários. Deus te abençoe ricamente.

“Mensagem Edificante para Alma”
http://josiel-dias.blogspot.com/


Josiel Dias
Cons. Missionário
Congregacional
Rio de Janeiro

Insana disse...

Encantada com seu doce poema

bja
Insana

Pena disse...

Sublime Amigo:
"Navegar" pelas suas palavras é divinal. É Ímpar.
Para quê elogiar se VOCÊ é sempre um exemplo a seguir em todo o lado onde existe Blogosfera?
Notável.
Abraço de ouro puro ao seu génio fabuloso.
Com respeito e admiração pelo que concebe de deslumbre.

pena

Excelente!
Perfeito demais.
Adorei.
Bem-Haja, notável amigo enorme.
MUITO OBRIGADO pela sua visita amiga que gostei imenso.

Lara Amaral disse...

=)

Beijo-te.

Justine disse...

Só por hoje.Amanhã continua. Na maturidade da tua escrita!No teu amor à palavra e à poesia.
Um beijo sempre admirado, miúdo:)))

Phwo disse...

Rendo-me à forma como (des)dobras as palavras.
Obrigada.

ErikaH Azzevedo disse...

Tu és todo poema menino, hj confesso,foi o texto mais bonito que li nesses dois ultimos dias, é poesia em cada canto, habitando até as entrelinhas, as horas de pausa para respirar...

Parabéns...te sigo por querer voltar mais vezes.

Erikah

maria manuel disse...

«Não coloques vírgulas na alma. Nem na poesia.

Semeia o sol por dentro para bronzeares a epiderme do coração. Semeia-o.»

lindo isto!

já o disse antes, fico sem palavras de cada vez que te leio. fabulosa a tua poética, a tua linguagem inovadora, a tua maneira de dizer o amor, os afectos.

abraço.

Virgínia do Carmo disse...

Muito belo... com ou sem finitude...

Um abraço

Insana disse...

"Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças"
Charles Darwin


Bjs
Insana

Anónimo disse...

"Se há coisa que não desejo a ninguém é ter insónias na voz e engolir o timbre dos búzios em dó menor"


:-)

Graça Magalhães disse...

Que saudades de te ler, Eduardo! É bom voltar a ti.
Beijo.Graça Magalhaes

Mgomes - Santa Cruz disse...

Amigo: parabens por este lindissimo poema, foi escrito com coração e alma.
Um abraço
Santa Cruz

Anónimo disse...

:)
que a poesia seja contigo

http://letras.terra.com.br/gal-costa/46120/

Sei Lá

Gerana Damulakis disse...

Bonito.

angelaferreira disse...

Preciso do teu cheiro no meu
Preciso de te dizer que te amo com as palavras a latejarem
Preciso que saibasque para deixar de te amar tens que me arrancar a vida
Preciso das tuas mãosnas minhas
Guia-me cega até ao abismo se preciso
Não
Não
Pára no meu peito
Pára no meu pensar
Sim
Sim, não me sais da cabeça
Não sais do meu corpo
Não sais do meu abraço
Quero-te em mim como uma fome
Como uma fúria
Como o meu coração arrancado fora
Que as palavras jorrem de teus escritos ao me olvidares
Quero que saibam que sou tua
E um dia quando partir o nosso amor sobreviverá mexmo quando os bixos devorarem o teu nome , que o trago na pele
Re(volta) ao nosso lar
Traz o teu sorriso contigo
Traz a tua voz junto a mim para me ninar como a uma criança
Vem pedaço incompleto de mim
Devolve o meu viver
Traz o teu corpo exausto junto ao meu
E se isto não for amor nada mais te direi

Sim

Pena disse...

Precioso Amigo:
Verdadeiramente, NOTÁVEL!
Um exímio gladiar com as palavras em que faz o que quer delas.
Excelente!
Abraço amigo de parabéns sinceros.
No maior respeito e admiração.

pena

Fabuloso.
Bem-Haja, ímpar amigo genialíssimo.
Excelente!

Fatima disse...

Isto é só poesia. Eu sei.


Mas é muito bom!!!!!!
Gostei muito daqui!
bjs.

Alguém... disse...

lindo poema, boas palavras*

ParadoXos disse...

Infinito-me...

André disse...

Obrigado!

é já amanha que tenho para apresentar :D
acho que me vou sair bem :D

© Piedade Araújo Sol disse...

prosa poética, muito bonita, que me deixa maravilhada.

um beij

Jackeline Licá disse...

Deixando meu rastro ,no teu cantinho :)

Amor feito Poesia disse...

E eu que esperava fogos de artifício,
esqueci que as estrelas não fazem barulho."

Clarice Lispector

Boa Noite e feliz amanhecer!! M@ria

Manu Almeida disse...

Lindo poema... lindo blog... lindas palavras, um verdadeiro incentivo a poesia! Obrigada por permitir esses lindos versos silenciosos!

Poemas e Cotidiano disse...

Emocionantemente lindo. O fim, maravilhoso. Tantas palavras descritas em sentimentos diferentes que me fez pensar...e pensar....
E eu volto, querido Hedu. Para triler, e espremer de seus versos, aquele meu sumo preferido.
Um beijo carinhoso
Mary

Poemas e Cotidiano disse...

"Apanha as pegadas espalhadas pela casa. Amor. Pega-me ao colo com a força da tua vontade. Não quero amarrotar o chão com os meus passos. Se os caminhos continuarem a passar de que nos vale ter tanta pressa? "

Simplesmente magnifico! Acabei de colocar no meu blog, Hedu. Simplesmente maravilhoso todo o texto, mas como sempre eu pego o sumo daquilo que gosto >>>>> e levo!

Beijos carinhosos
Mary

ana margarida cristo disse...

sabes edu, emocionei-me... não te chamo mano neste escrito, pois gostaria de ter a mesma força, e encanto, que o da musa que a este escrito te inspirou...parabéns, escreve sempre e partilha-te!!!bj grnd