sexta-feira, 1 de agosto de 2008

meta-AMOR-foses

Manda-me de volta todos os beijos que não demos na hora da despedida que nunca existiu. Manda-me um só momento que sirva para resumir todos os instantes provisoriamente eternos, devolve-me a metade de ti que me pertence, a peça do puzzle que inventei para me entreter enquanto exploro os meus excessos à flor da pele, enquanto culpado me confesso do silêncio audível no interior da tua boca.

Poema?
Devolve os sorrisos que não partilhei com os teus lábios. Reaparece, grita-me a tua ousadia, cospe-me no rosto e no resto que sobra de mim, vomita os fantasmas que coloquei nos teus sonhos, arranca de mim os filhos que não me deste, morde, trinca, beija este corpo com bofetadas. Isto é amor. E se não for, então que se lixe!!

Que se lixem as rosas que não te ofereci, que se lixem as lágrimas que bebi do teu olhar, que se lixem as recordações na reciclagem da memória, que se lixe o vazio que escrevo, que se lixem os instantes provisórios, os beijos, a despedida, o puzzle e eu. Mas, por agora... imploro-te...
Apaga no coração as mil vezes que te matei sem te avisar e as vezes mil que não te amei e escrevemos utopias eternas nos lençóis!!
Poema?

Rasga-me os sentimentos que já não sinto, as pétalas, os ramos, o pólen, as raízes, deita fora todas as emoções que já não penso e guarda os espinhos para te acariciarem a epiderme e dorme sem que a tua boca cuspa uma lágrima, enfurece-te carinhosamente, corta em fatias essa overdose de esquecimento, anestesia o meu choro com beijinhos mesmo que não sentidos.

Poema?
Engana-me na única verdade que é acabar e regressar ao pó e quando estiver deitado, grita-me que não morri!!
Poisa em mim como uma tempestade de orgasmos organizados por desordem alfabética. Empresta-me o tempo que não tive para te dizer o quanto demorei para encontrar o ponto onde começa e termina a eternidade que se encerra numa hora onde não cabem sessenta minutos de realidade. Uma hora onde não cabe nada que não seja sublime como a tua doentia solidão enterrada no solo árido deste fragmento poético quase tão ofensivo e obsceno como o dono dele.
Meu poema... meu amor...
Empresta-me um sonho que não seja meu, uma mentira pequenina para me aliviar a espera. Uma mentira, dessas que não magoa mesmo quando se tratam de verdades violentamente incuráveis como uma despedida para sempre. Para sempre e por hoje, empresta-me um alfabeto diferente. Cansei-me de dar nas vistas sempre com os mesmos disparates. Cansei-me de ti que ingenuamente apenas serves para me fazer sorrir de nervos, tão assim, mais ou menos isto ou tão míope, que só visto. Tão ausente, tão desatento, tão alheio, tão filho da mãe como a vida, às vezes. É!!

A morte é a incurável certeza que nos mantém vivos!!

Se alguém duvidar, então ressuscitem-me deste sono, atirem a primeira, a segunda e a terceira pedra e deixem-me descansar na sétima noite da minha ausência para que no final possas perceber que é tarde para me proibires de sonhar...

E isto será sempre amor! Mesmo que as palavras doam, será, mesmo que não seja nada. Será, mesmo que pareça um desmaio voluntário, um recém-nascido à espera de um espancamento fraternal que lhe desperte o primeiro choro. Isto será sempre amor, uma teimosia tragicamente razoável que excede as utopias que deambulam à volta da tua imperturbável apatia. Será o que tiver que ser portanto, empresta-me uma catástrofe de miminhos, o desastre afectivo das tuas quimeras, devolve-me o alicate, o serrote, os martelos, as enxadas, a guilhotina e, já agora, os bisturis, preciso de uma cirurgia emocional, que arranquem de mim o teu suor e me deixem ficar apenas a esperança e o lapso de ser imaturo porque de real só me resta a discreta verdade da fantasia.

160 comentários:

Shakti disse...

A utopia das palavras aliada aos sentimentos ...cria este texto cheio de amplitudes ...

bjs

Luis Eustáquio Soares disse...

"a morte é incurável, certeza que nos mantém vivos"... e por isso mesmo, caríssimo, o jogo dos fetos dos afetos que nos afetam, a dizer e a fazer; a dizer, como se não tivesse feito, como se não tivesse amado, e ao mesmo tempo fazendo... e ao mesmo tempo pedindo de volta o que se amou e viviu, porque relâmpagos de vida, de víveres de viveres.
meu abraço
luis de la mancha.

ln disse...

é com certeza, o que nos mantém mais vivos:a morte; amor. Já tinha saudades de te ler, abraço amigo.

Princesa Paty disse...

Lindos os textos, beijos p vc tb!

NAELA disse...

Nesta simbiose de sentimentos magicos, resta a forma mais sublime do amor, a que espera e sabe esperar, tal a grandeza e coragem de proclamar as vozes do nosso interior!
Beijo com muitooooooooo carinho;)

SAM disse...

Querido,

Hoje eu precisava de uma cirurgia emocional. Acho que há muito preciso. Hoje te agradeço e te abraço ternamente porque me deixaste em letras, palavras que para mim brilharam como ouro. Me ofereceste o carinho de um beijo terno. Te devolvo agradecida.

rodrigo disse...

Eduardo, és mesmo um Don Juan cibernético. Olha só a quantidade de minas que andas a cativar... :D

O teu blog já passou a fazer parte da lista de links do Humanóide

Entre o Fascínio e o Pensamento disse...

Nossa!!!!!!!
Você escreveu um capítulo da minha vida aqui, meu Paradoxo...

..."Apaga no coração as mil vezes que te matei sem te avisar e as vezes mil que não te amei"...

Quando eu li essa parte quase não acreditei..! É incrível...

..."Manda-me de volta todos os beijos que não demos na hora da despedida que nunca existiu. Manda-me um só momento que sirva para resumir todos os instantes provisoriamente eternos, devolve-me a metade de ti que me pertence"...

Eu vou roubar isso de você.. guardar aqui dentro de mim.. você me tocou de forma inconfundível e mais que intensa agora!!
Eu te admiro e te contemplo, meus Paradoxos!!

Um beijo.. preciso ler de novo! =)

Fernando Rozano disse...

texto de fôlego, e de tirar o fôlego. denso, forte e um universo de sensibilidade se abrindo, se descobrindo. meu abraço.

Dois Rios disse...

(re)versos...

súplicas de um amor findo e não acabado...

poema?

bj.

Santhiago Ramirez disse...

A facilidade com que você manipula as palavras, forma idéias, cria metáforas, dá-me a impressão de ver um malabarista que lança, com fogo, ao alto, seus malabares, e dá um espetáculo de luzes, movimentos, risos, lágrimas, cores, imagens sinestésicas, lembranças do passado, tudo num momento só.
É um transporte. Saí do corpo e vi você a beber lágrimas (parecia um quadro de Picasso), e re-conquistar o que nunca teve, a curar dos filhos que não há...
Esta postagem surtiu, para mim, o efeito de algum psicodisléptico forte.
Genial. Genial. Appunto!

Ana Paula disse...

Os sentimentos e a sua força dominados aqui pelas palavras!

Gostei de conhecer o blog e a escrita do seu autor. :)

Agradeço a visita!
Sendo alguém que gosta de escrever, como pude constatar, convido-o a visitar e participar n'"O Elevador".

http://elevadorantologia.blogspot.com/

Obrigada!

Clarice Lis disse...

Fiquei sem palavras diante as suas. Ainda bem que um dia você me encontrou, assim pude encontrá-lo tb. Vou linka-lo para voltar sempre.

vida de vidro disse...

Intensidade. Os teus textos são todos assim. A raiva de amar, de estar vivo. **

Nanda Assis. disse...

Tira o teclado desse cara, pq ele é bom demais!!!! quê, quê isso??? humilha todos os poetas famosos. e nem adianta achar que o que vc faz não é poesia, pq tudo que transpassa sentimentos e faz os outros viajarem sem sair do lugar é poesia!
cara vc é muito bommmm!!!!!
tem outro igual a vc?
bjosss...

Shadow disse...

Bom...muito bom!
Gostei bastante!

Bjs,
Shadow

Mar Arável disse...

Bem-vindo ao meu mar

mundo azul disse...

Meu amigo...Parece um momento de balanço... É mesmo?
Um belo desabafo...


Beijos de luz e o meu carinho!!!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Gosto do que vc escreve, é o meu estilo. Amigo, fiz uma resenha sobre um filme inédito no Brasil, que tive a oportunidade de assistir. Há também um "elogio aos amantes", você vai gostar.
Apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

Bichodeconta disse...

Deliciosas as palavras, suaves , como a brisa que vem do mar e trás até nós sopros de magia..É tão bom passear por aqui, parar aqui e ali , sentar-me á sombra das tuas palavras em prosa de poesia vestidas.. É um fluir de palavras , qual leito de rio , sensibilidade que ma leva por ai..Um abraço e boa semana

mariam disse...

excelente post. parabéns.
é um misto de sensibilidade, corrosão, amargura, luta...
li de sopetão e reli mais devagar...revi-me em parte dele.

bom fim-de-semana

um sorriso :)

Anónimo disse...

entrei bem apartir daqui.obrigada pela escolha.beijos paco
Luisíndia

bossa_velha disse...

deixa eu lhe dizer uma coisa: raramente vejo um homem escrever assim; é fantástico.

biazinha disse...

Fiquei sem ar!
Uauuu....esplendorosamente lindo!
Sim, poema sempre! Poema livre pra contestar, cutucar, vomitar, reivindicar... sempre poema!
Identidades misturam-se e fundem-se a outras emoções e nossas vida deixa de nos pertencer para ser conjugada no plural. A simbiose acasala-se e fica no ar a pergunta: Quem sou eu? Quem é você?

Baraújo disse...

ando por aqui e ali aos saltos nestes momentos em que as brisas dos mares nos chamam... mas... nunca paras de surpreender quem te lê... a força das palavras, mmo silenciosas....

abraço

GMV disse...

Sempre poderosas as suas palavras. Retenho o final "...porque de real só me resta a discreta verdade da fantasia." Lindo. Poema? Sem dúvida. Bom fim-de-semana.
Bjs

Beto Mathos disse...

Impressionante a forma como você conduz seus textos, como se fossem mascotes domados pela rédea precisa de sua pena.

Grande Abraço

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Que coisa linda.Vou ler novamente mais tarde.

Bia disse...

Acho que já disseram tudo. Acrescento que és um excelente escritor !!!


miminhos... atrevidos !

bekeflowerlee disse...

Rapaz, mas o que é isso??

Maravilhoso é isso que é.

beijinhos

Menina do Rio disse...

Maravilhoso!
"Apaga do coração a mil vezes que te matei sem avisar..."

E se não for amor, que se lixe!

Um beijo pra ti Eduardo.

Paulo disse...

"...porque de real só me resta a discreta verdade da fantasia."

...

onde avidamente te leio e sinto os teus sentires.

Um abraço e Bom Fim de Semana.

Dani disse...

Nossa, muito bom esse! ;)

f@ disse...

met amorfo(s)seamente e a semente ... e paradoxo de gotas de orvalho na pele rasgada de ventos fortes e ar de mar... maresias com gaivotas e sereias a aprender a voar...
fantasia e sonho
sono beijinhos das nuvens

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Estou sendo difamada e perseguida por uma mulher aqui na Blogosfera e nas ruas. Ela disse que segunda inaugurará o Blog contra Renata. Chegou ao ponto de ligar para a minha casa na quarta perguntando se eu ia ao médico no dia seguinte e se tinha feito exame de sangue. Depois confirmoua consulta para às 8: 30. Quando me deram o recado, façei que a consulta era às 16: 40 e liguei para o consultório de onde me disseram que ninguém me havia telefonado e que me confirmaram a hora da consulta: 16: 40. Diz que me persegue na rua para tirar fotos minhas para por no Blog anti-renata.
Vocês me conhecem, cabe-lhes tomar o partido que quiserem.
Renata Cordeiro

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Estou sendo difamada e perseguida por uma mulher aqui na Blogosfera e nas ruas. Ela disse que segunda inaugurará o Blog contra Renata. Chegou ao ponto de ligar para a minha casa na quarta perguntando se eu ia ao médico no dia seguinte e se tinha feito exame de sangue. Depois confirmoua consulta para às 8: 30. Quando me deram o recado, façei que a consulta era às 16: 40 e liguei para o consultório de onde me disseram que ninguém me havia telefonado e que me confirmaram a hora da consulta: 16: 40. Diz que me persegue na rua para tirar fotos minhas para por no Blog anti-renata.
Vocês me conhecem, cabe-lhes tomar o partido que quiserem.
Renata Cordeiro

Justine disse...

A sofrer, poeta? Ou a fingir? Ou já estás mesmo a sentir a dor que finges que sentes?
Enfim, não interessa. O texto catártico ou não quase nos tira o fólego...
Beijo

Simplicidade disse...

Poema? Nas palavras que gritas,entrei... Na cirurgia a dissecar um corpo completo, me mantive. Dói? Claro dói sempre...
Adorei... a forma, o paradoxo, as metáforas, o simbolismo...
Beijinhos e um sorriso
Maria

Tata disse...

Pôxa, que dom lindo que você tem. Adorei seu escrito, me impressionou muito!!!!!

A leitura fluiu com tanta facilidade e me transmitiu tanta verdade.
Parabéns!

Vou te linkar, tá?
bom domingo!

APO (Bem-Trapilho) disse...

muito bem escrito!

durante o mês de Agosto os meus trabalhos estao expostos na loja PIPA ao pe´do mercado da Quinta do Conde. e já no próximo sábado, dia 9, dou lá um workshop sobre várias técnicas de decoração de t-shirts. aparece no meu blog Bem-Trapilho (http://bem-trapilho.blogspot.com/) que tenho lá várias fotos da exposição e dou mais pormenores sobre o workshop.

bjokas :)

Filipa Sousa disse...

Palavras que fazem pensar tanto.

Obrigada pelo post.

Adorei.

Bjinhos

Evelyn Fleming disse...

Você é Demais! Cada vez que entro no seu blog me surpreendo ainda mais com a qualidade e profundidade dos teus textos!

~pi disse...

a pa rente

foz...



~

André disse...

Bem vívido. Continua.

Maria Dias disse...

Cirurgia emocional?Que paixão!
Belo texto amigo.
Bom início de semana.

Beijos.

impulsos disse...

Que dizer deste texto?
Pois se ele próprio se diz!...

Muito bom, mesmo!

Cada palavra com que o construís-te, tem o seu lugar certo, mostrando bem todo o teu sentir... no vazio do deserto que te resseca até a alma.

Beijo

*izil* disse...

Belo texto, parabéns :-)
Adorei
Izil

MomentosDeMim disse...

Tudo o que escreves é lindo. Parabéns :)

Nuno disse...

olá! boas férias para ti também! Gostei do começo do texto...no fim do meu namoro também não existiram beijos, nem na conversa que houve depois do namoro terminado...estes mês conto-me encontrar com a minha ex e amiga...para dizer a verdade, não me importava que se dessem uns beijos...lol! Um abraço

Camila disse...

Queria poder voltar o tempo...
=/

Beijo

romério rômulo disse...

eduardo:
mas este teu blog é muito interessante.e veja que eu não o conhecia,ainda.serei teu leitor
permanente.
um grande abraço.
romério rômulo
http://romerioromulo.wordpress.com

João Videira Santos disse...

As palavras vivendo a sua própria utopia...

Pedaços de Cereja disse...

Mais um texto excelente;)


Beijinhos *

O Árabe disse...

Poema, sem dúvida... e dos melhores! És mesmo um mestre dos aparentes paradoxos, amigo! :) Boa semana.

Bandys disse...

Muito bom! Amei.
Parabéns!

Gerlane disse...

És um poema inflamado, pelos deuses da poesia usado.

Beijos pra ti!

lilipat2008 disse...

Será isso tudo a ressaca de um amor que chegou ao fim?...melhora depressa e continua a escrever assim...é divinal o que escreves...

bjitos

Eu disse...

Que intensidade encontrei por aqui, por vezes me fez sentir igual a ti.
Não escrevo tão bem quanto vc mas apareça...

diz q disse disse...

Bem, vim retribuir a visita e encontrei aqui belos textos, muitos parabens pela forma de escrever e vou voltar concerteza.

Maria Anjos Varanda disse...

Muito muito bom...
Continua a escrever ...dá gosto ler o que escreves..

Beijos

Xinha disse...

Tens um dom... sem dúvida !! consegues expressar de uma forma única... as palavras fluem ...És divinal !


Xi-coração

OUTONO disse...

Mais um excelente exercício, onde a nossa mente acelera a leitura ...ávida de compromissos, para um final...nunca existente.

Um forte abraço!

rosasiventos disse...

falas de real nas palavras que o representam.

do como se...e do de facto.

muito expressivo!! :)



~

biazinha disse...

Eduuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu,
Saudades!
Beijos.*

segredo disse...

O teu texto deixou me sem palavras como senti cada palavra, cada gesto, como me fez pensar quantas vezes sentimos essas contradiçoes todas
Muito lindo
Beijo*

anamarta disse...

Olá Eduardo
Passo para agradeçecer o teu carinho e atenção para comigo. Estou voltando aos poucos, pois embora esteja melhor, os dedos não estão completamente recuperados,aliás em Setembro vou ter que ser operada, pois os tendões ficaram lesionados, mas é uma coisa simples. Já tinha saudades dos teus belíssimos poemas.
Um beijo

Pena disse...

Estimado Amigo:
Um poema muito belo. Sensível.
Realço este pormenor de instante profundo de imensa beleza poética, feito pelas suas mãos mágicas:

"...Será o que tiver que ser portanto, empresta-me uma catástrofe de miminhos, o desastre afectivo das tuas quimeras, devolve-me o alicate, o serrote, os martelos, as enxadas, a guilhotina e, já agora, os bisturis, preciso de uma cirurgia emocional, que arranquem de mim o teu suor e me deixem ficar apenas a esperança e o lapso de ser imaturo porque de real só me resta a discreta verdade da fantasia."

Excelente!

Abraço forte de amizade.
Parabéns sinceros.

pena

Gostei muito, amigo!

fi disse...

Eu adorei este texto Eduardo! Lindas palavras, fortes, que rasgam a alma e o saber, de serem tão reais!
Vou passar sempre.

Maior beijo*

"Apaga no coração as mil vezes que te matei sem te avisar e as vezes mil que não te amei e escrevemos utopias eternas nos lençóis!!" - Brutal

Císa disse...

"..Manda-me de volta todos os beijos que não demos na hora da despedida que nunca existiu.."

ai,ai,ai...essa frase me fez lembrar uma pessoa...
Deixa pra lá, né?!

Ainda bem que existe o passado!
Ufa!

;)


Beijinhos!

Parabens pelo blog, mocinho!


Fique com Deus!

© Piedade Araújo Sol disse...

sem querer me repetir.

mas que jogo de palavras!

Poema?

talvez!

beij

Val Du disse...

Que bom que você tem esse dom para escrever.

Bênçãos e mais bênçãos para você.

Beijos

Priscila Petrarca disse...

como sempre, perfeito nas idéias, nas palavras, na emoção. adorei.

Priscila Petrarca disse...

como sempre, perfeito nas idéias, nas palavras, na emoção. adorei.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Oi, meu amigo, eu o tenho em alta conta e acho que vc não está indo ao meu Blog...
Fiz postagem sobre o filme Caráter e como sei que o seu é bom, apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um abraço,
Renata Cordeiro

vita disse...

FANTÁSTICO!

Fiquei maravilhada de te visitar.;)

Uma sensibilidade nata e uma mestria de palavras.

Gostei.;)

Ana Diniz disse...

Sofri contigo amigo, nesta magnífica prosa sonora, belamente cadenciada. A essência da prosa me fez lembrar de um amor do passado que me fizera escrever parecido, só que em versos.

Nem todas as musas fazem sorrir. Existem estas como a sua - extraem de nós até a última gota de suor e sangue... no latejar da paixão.


Parabéns. O seu texto é lindo.


BEIJINHOS...

Ana

Paulo Lopes disse...

Sinto as palavras à solta dentro de ti com uma força tremenda. Entendo que basta fechares os olhos e os pensamentos tomam conta do vocabulário gerando os textos que por aqui leio, cada um melhor que o outro, sem quebras de cadência, revelando uma inspiração constante.
Um abraço,
PL

Caçadora de Emoções disse...

Excessos literários num belíssimo texto de afectos! Deu-se, envolveu-se, entregou-se ao poema, às palavras, às emoções. Perdeu-se nele, numa história mal resolvida.
Eu reencontrei-me.
Obrigada por esta partilha...

Um sorriso :)

Diva disse...

Chego aqui e paro... sinto mais do que leio. Adoro...me entrego... sem metades. Impossivel nao ser assim, aqui.
Bjs meus

Jo disse...

Não tenho palavras...

Parapeito disse...

Ufa!!!! só no final consegui respirar :)

Brisas frescas **

mariazinha disse...

A tua desordem alfabética continua sublime. Deixas-me sem fôlego e sem mais palavras...
Beijo*

O Profeta disse...

Ai quem me dera agitar o tempo
Atirar a mágoa à voragem da noite
Arrancar as raízes ao pensamento
Sentir a paz que uma lagoa acolhe


Boa férias


Abraço

Carla disse...

...senti...
...este texto...
beijos em forma de poema

Bruxinha disse...

Vim aqui parar ao acaso, e fiquei presa durante horas aos teus textos; Parabéns tens um blogue fantástico, carregado de emoções que nos prendem em cada linha que vamos devorando ....

Vou voltar

Bjos

Fragmentos Culturais disse...

... raramente a tristeza estampada nas palavras é uma 'real figura de retórica', Edu!

É bem mais fácil quando queremos fazer passar a sensação de 'alegria'...

Sensibilizada pelo teu olhar bem atento a 'fragmentos'!

Um beijo

... sempre que se fala de 'sentimentos'... não me atrevo a comentar!

Anderson Meireles disse...

Seu texto é de calar qualquer um.
Em meu último post brinquei humildemente com trocadilhos, talvez inconscientemente inspirado nas maravilhas que vc escreve.
Um abraço meu caro.

Carlos disse...

Consegues "brincar" com as palavras jogando e trocando nelas as conotações mais diversas, introspecção???
deslizam-te no pensamento os acordes de sentimentos e emoções e leveza do ser.

Gostei bastante
um abraço

Arnaldo Reis Trindade disse...

Mais uma vez sem comentários, desculpe-me pelo sumiço, mas imprevistos vem me tirando do m undo virtual e me levando a uma realidade as vezes até cruel que me impede de visitar sonhos, como estes teus textos que expressam tão bem sentimentos, sejam eles bons ou ruins,
Abraço amigo.

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Mas é inegável... Seus textos são demais.Vir aqui é puro prazer.
fiz postagem nova, apareça por lá.Um grande abraço

Fa menor disse...

"A morte é a incurável certeza que nos mantém vivos!!"
E tens um dom excepcional para explorar as palavras e o que se lê nas entrelinhas...

Beijo

Sonhos e Devaneios disse...

Lindos textos...rasgame os sentimentos que ja nao sinto....muito bom
abraços joao

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo Edu:
Estou dando uma festa virtual no meu Blog, com fogos de artifício, sucos, queijos e bolo, para comemorar as minhas melhores.
Conto com a sua presença,
uUm beijo,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.cpm
não há ponto depois de www

Krika disse...

Linda foto e lindo poema! Não sei se a morte é a certeza que nos mantém vivos, acho que a esperança é que nos mantém vivos. As vezes estamos mortos e não percebemos. Perdemos pouco a pouco os sentimentos. As vezes ... Gostei mesmo do poema.

Super beijo! ;)

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Meu amigo:
Venha, agora, quinta-feira, à festa que estou dando em comemoração das minhas melhoras: 43 quilos. EStou te esperando, não falte.
Um beijo,
Renata

Maria de Fátima disse...

revista electrónica em que participo http://www.scribd.com/groups/view/8296-samizdat

varal experimental disse...

SENTIR OU NÃO SENTIR?
SENTIR, MESMO QUE SEJA SÓ UMA FANTASIA.

BEIJINHOS

biazinha disse...

Não me canso de vir aqui e reler este post delicioso!
Beijinho.

Andreia Lopes disse...

'...devolve-me a metade de ti que me pertence...'
Se já te pertence, não adianta querer reave-la!
Beijinho

*

Desnuda disse...

Emociona. Isto é amor, cuspido, escarrado, rasgado. Seus textos magnetizam-me.

Ótimo fim de semana!

Beijos

Iana disse...

Olá; apareci aqui de curiosa.. lol.. pois sou curiosa d++++

Encontrei-te no blog do meu amado e de alguns amigos em cumum....

Seu post deixou assim... assim... sem palavras! O que escrevestes é muito profundo, encantador emocionante e cheio beleza! Parabéns meu caro... Parabéns!!!

Abraços
Sou apenas uma Rosa amiga
Iana!!!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Mei amigão:
Postei sobre um filme de que vc vai gostar. Apareça aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um abraço,
Renata

Ana Martins disse...

Um texto para ler e reler muitas vezes, sem nos cansarmos de o ler... Tão grande é a sua beleza e o amor que nele descreve.
Bom fim de semana, bjs

TOOP disse...

Forte e Intenso...
E tudo sobre o amor... é sempre o melhor a se ler.


;)

*gostei

Auréola Branca disse...

Olá...
Tudo bom?
Estou passando de malas prontas, para uma pequena viagem de férias. Prometo voltar em um piscar de olhos para acompanhar-te.

Gostaria que aceitastes o Prêmio que te oferto, e que encontra-se no meu blog. É de coração.

Até a volta.
Abraços.

Crisfonseca disse...

Simplesmente sublime teu texto.
Fiz uma postagem nova, apareça quando puder
Beijos,
Cris

Luis Eustáquio Soares disse...

amigo paradoxal, te espero para uma aventura de leitura, e não se assuste, porque quero contrabalançar o sério do outro poema bélico
meu abraço
luis

Canto da Boca disse...

Visceral
corrosivo
dilacerado
é quase (?) um 'ad-memoire de um pré-desesperado', e lindo!
As palavras que perdestes lá no Canto, é porque elas estão maravilhosamente encantando quem aqui vem.
;)

Eurico disse...

Poeta, abraço fraterno e obrigado pela visita. Excelente blogue, o teu!

AnaMar disse...

Esta é a razão porque tenho estado sem palavras: encontrei-as quase todas aqui, num bailado de emoções e afectos, por vezes tão difíceis de descrever...

E sinto. Sentir intenso. Porque para os sentires as palavras não chegam.
Mas estas sentem-se.
Li e reli.
Abraço

Aninha disse...

RJ 15h06

Dia Nublado
Feliz Dia dos Pais


"Engana-me na única verdade que é acabar e regressar ao pó e quando estiver deitado, grita-me que não morri!!
A morte é a incurável certeza que nos mantém vivos!! "

Aí está o grande paradoxo que inspirou o nome do seu Blog...Lindíssimo!

Sucesso

Marcia Barbieri disse...

ESPERO QUE VEJA MEU COMENTÁRIO
Texto maravilhoso, dá até vergonha comentar..."um recém-nascido à espera de um espancamento fraternal que lhe desperte o primeiro choro."
AGRADEÇO IMENSAMENTE PELA TUA VISITA E ESPERO QUE VOLTE SEMPRE NO MEU BLOG,ESPERO QUE FRIDA ME INSPIRE...
BEIJO
MARCIA BARBIERI

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Eduardo. Adorei o título; Meta-AMOR-foses.
Um texto maravilhoso onde só nos resta a "discreta verdade da fantasia."

Ótima semana para você.

Beijos mil! :-)

C.B. disse...

agradável surpresa quando aqui entrei. dei-me ao prazer de ler não só este mas também outros textos com que nos delicias. tens uma escrita intensa, ampla, verdadeira, com fibra!

é bom ler-te, um beijinho* (:

Dry Neres disse...

Lindo!! ^^

Mulher na Janela disse...

belo belo. gostei daqui.

beijos...

Iara

Sunshine disse...

Excelente texto!
"... me deixem ficar apenas a esperança e o lapso de ser imaturo porque de real só me resta a discreta verdade da fantasia."
Beijinhos com raios de Sol

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Olá
Obrigada pela visita, mas obrigada, ainda mais, pelo presente que foi seu blog para mim.
Amor... eterno amor... mesmo quando a gente o quer morto e enterrado, por isso digo "...é que nem cor de olho - a gente pode até disfarçar com lente, mas é a única coisa que não podemos mudar nunca... o resto, com dinheiro, hoje muda-se tudo!
Mas cor de olho e amor recolhido... êta! é pro resto da vida... mas a gente acostuma".
(Kátia de Carli)
beijo

MARIA disse...

Olá.
Obrigada pela visita simpática ao meu blog.
Quanto a este post, já tudo foi dito. Tal como é característica deste blog, tudo em si se expressa por palavras fantásticas : a pele, os sentidos, o coração, a alma...
É único e extraordinário...
Um beijinho
Maria

Verónica disse...

Há momentos muito fortes na vida de cada um de nós! Que nos fazem chorar,cair, vacilar...e depois do sofrimento erguer com mais determinação ,mais fortes e audazes! Boa sorte paradoxos!Gostei muitíssimo!Tens muita classe ! ;-)
beijos

Claudia Perotti disse...

Mais uma vez sinto que gostaria de ter escrito cada palavrinha tua.

Demais! Adorei!

Beijinhossssssssssssss

Lena disse...

"Empresta-me um sonho que não seja meu"

:)

Gostei tanto de te ler!!

Beijinho

Wolf disse...

a complexidade simplista do ser humano..



;)
abraço

Anderson Cádor disse...

Meu bom, ainda venho aqui para ler com calma eesse seu texto. Venho sim. De antemão, agradeço a presença sempre interessante lá no meu Clube.

Deixo abraços e muita força.

Cádor

Vênus disse...

Simplesmente...adorei!

elvira carvalho disse...

A morte a vida e o amor unidos numa dança louca, redopiam nas palavras, num post muito bom.
Um abraço

Caçadora de Emoções disse...

Passei só para desejar Boas Férias, ou se preferir, Bom Trabalho...

Um abraço e sorrisos muitos :)))

Marcia Barbieri disse...

Não coloquei comentários,mas li vários posts seus, você é um dosmelhores escritores de nossa geração. Parabéns!!!

Beijo
Marcia

pianistaboxeador21 disse...

Ótimos textos,uma linguagem simples e tocante e metáforas muito bem escolhidas.

Parabéns e sucesso
Daniel Lopes

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Mau amigo:
Tive que fazer outro post, pois aquele me trouxe um azar que vc nem imagina. Este é sobre um cult movie, dirigido pelo Nicolas Cage, com James Franco no papel principal. Passou despercebido no Brasil, talvez tenha feito sucesso na Europa, não sei. Apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um abraço,
Renata Cordeiro
PS: Và lá e pegue o selo Dardos que lhe dou

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Eduardo, Texto forte de sentimentos, paixóes assumidas e negadas e as certezas que nunca passam de utopias...Adorei!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Crystal disse...

I.M.P.R.E.S.S.I.O.N.A.N.T.E!!!

Adorei!

Daniel Aladiah disse...

Caro Eduardo
Um texto, no mínimo, arrebatador!
Um abraço
Daniel

Anderson Meireles disse...

Meu amigo, acabei de vomitar mais um devaneio meu,
apareça quando quiser,
um abraço!

"Sofi@" disse...

Por mais que o senhor queira apagar todas aquelas recordação que passou com a tal rapariga!
Elas permaneceram sempre na sua memória, porque esses pequenos momentos fazem parte da sua vida.
bj
Muita força.


"Sofi@"

veritas disse...

Amor e verdade. Fantasia?

Obrigada pela visita.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo:
Já lhe chamei para apreciar o meu novo post e vc não foi. Cheguei a oferecer-lhe ums elo e não obtive resposta. Está acontecendo alguma coisa? Foram-lhe falar mal de mim? Porque não entendo.
Estou esperando-lhe com o selo Dardos, que lhe ofereço.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um beijo,
Renata

rouxinol de Bernardim disse...

Uma divina epopeia metafórica!

anamarta disse...

Intenso! Cheio de sensibilidade! Belo! Estou matando saudades...
Um beijo

JC disse...

O texto é excelente. Espero que volte rápidamente com a qualidade a que tem habituado as pessoas que vitam seu blog, pois eu foi a primeira vez que visitei, mas voltarei de certeza, dado ter ficado extremamente agradado.

antónio paiva disse...

...

boa prosa!

biazinha disse...

Eduuuu:
O dia que vc entrar na NET posto o poema que fiz pra ti.

Beijos.

Shakti disse...

Venho apenas para te deixar um beijo ...

Maria Dias disse...

Oi meu amigo...

tenho sentido s falta no meu Avesso!Está tudo bem contigo?
Apareça!

Abraço!

Kátia disse...

Esta é verdadeiramente a "carta que nunca escrevi" para alguém a quem muito,muito amei.Pena que ele não desfrutou desse amor todo.

Parabéns Eduardo!Continue partilhando essas palavras lindas que escreves e que toca-me imensamente.

Beijo!

bossa_velha disse...

bom demais!

O Árabe disse...

Ausência sentida, caro amigo dos paradoxos... breve retorno, espero que tudo esteja bem contigo!

Beautiful Stranger disse...

vim aqui trazer um carinho, o prêmio Dardos; recebi da amiga querida 'Desnuda"; ficaria feliz se aceitasse; deixei no meu blog para que pegues; e quanto as regras de quem me deu e repassar, estou fazendo informalmente, e fica a seu critério...

:D

http://strangerbeautiful.blogspot.com/

mail-msn-orkut: bs_live@live.com

SAM disse...

Deixo aqui a marquinha do meu beijo, querido.

Lindo domingo!

Virgínia Allan disse...

Vim te visitar a retribuir a visita. Também eu gostei de ter estado por aqui. Gostei do que li.
Um grande abraço. Até mais

Bill Stein Husenbar disse...

Quanto mais pensamos na morte, mais nos agarramos inconscientemente à vida. Maravilhoso. Voltarei.

Abraço

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Maria disse...

Lindo!!! Obrigatório este Blogue!

Oliver Pickwick disse...

E nesta onda dos Jogos, só posso dizer que bateste o recorde, prezado amigo. É o seu melhor texto. Pelo menos entre todos que li aqui.
Depois de mais de um mês ausente da blogosfera, é um prazer reencontrar um trabalho de qualidade tão acurada.
Um abraço!

Deusa Odoyá disse...

Olá meu estimado amigo EDUARDO.

Um belo e sensível texto.

A força e a brandura, de sentimentos interiores feridos.
O clamor de uma alma em desespero
travando a batalha do ser emitente.
Beijos meu amigo poeta.

Obrigado por seus comentários tão carinhosos em meu cantinho.

Regina coeli.

Ligia disse...

que bom ter conhecido seu blog hj, justamente hj em que penso tanto sobre o fim dos sentimentos, dos relacionamentos, dos ciclos..

Prazer em ter vindo até aqui...

bjs

SofiaRapozo disse...

simplesmente fanta´stico o texto

Cleopatra disse...

"O corpo é irrepetível por mais que o plastifiquemos."
Não há forma de contrariar esta realidade. Nem esta:
"A morte é a incurável certeza que nos mantém vivos!! "

Filoxera disse...

Descobri hoje este blogue, através dum comentário deixado num dos meus, e estou admirada.
Fabuloso!

la chica maravilla disse...

Descubrei o seu blog hoje e gostei muito deste post. Come dize una cançao da Concha Buika... "devuelveme el cachito de mi corazón que me robaste cuando yo estaba dormida" (Devolve o pedaço do meu coraçao que voce robou quando eu dormia) Nao falo muito portugués mais vou volver a te leer para aprender novas palavras!! Um abraço.

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,