domingo, 17 de agosto de 2008

Frase do dia e da noite

Às vezes a única ausência que sentimos é a nossa!

101 comentários:

ki-colado disse...

É... bem isso!!

Shakti disse...

"A ausência é para o amor o que o vento é para o fogo: apaga o pequeno, aviva o forte." (Antoine de Saint-Exupéry)

Bjs

f@ disse...

Das ausências e dos vazios...
e a nossa própria ausência é a pior de todas... a que nos afasta de tudo... e de todos...
beijinhos das nuvens

Momentos disse...

Então estou perdida!!!
Legal suas palavras!

Carinho caro poeta!

Marcia Barbieri disse...

Esse às vezes, por vezes,é muito...

abraço
Marcia

Pearl disse...

Não duvides!

beijinho

Nanda Assis. disse...

sinto falta de seus textos, nção sou fã de ausencia.
bjosss...

sonjita disse...

Às vezes sim.....

Pedro disse...

Podes crer, e o mundo parece avançar à nossa frente como um teatro... e ali no meio estamos, sem nos sentirmos sequer. Por isso sabe bem reflectirmos por vezes.

Phwo disse...

"Às vezes" gosto (muito) de me (des)organizar no teu blog. Obrigada.

C.B. disse...

e a tua faz-se tanto notar por aqui (: saudades das palavras tão perfeitamente desenhadas (:

um beijinho edu

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Já me acostumei com a minha ausência. Amigo, acabo de publicar algo de belo. Um post feito a várias mãos, ou seja, vários colegas da Blogosfera contribuíram para esta postagem. Venha apreciá-lo.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um beijo,
Renata
Vê se não demora para aparecer ou leva umas palmadas!

Desajustada disse...

poxa, é bem isso msm;

karla disse...

sim, muitas vezes sinto falta de mim, e pergunto-me onde andarei... são muitas vezes que me sinbto perdida... a kem não acontece, não é?
gostei muito deste teus espaço, voltarei assiduamente...

biazinha disse...

Quando nos perdemoa de nós mesmos,sem duvida!
Boa semana procê, amigo poetaço!

Beijos.

Val Du disse...

É bom não ir muito longe! E retornar para nós mesmos é o melhor...
Dar de cara com o espelho e dizer assim: Como somos belos e benditos.

Beijos

Desarranjo Sintético disse...

Bah, pior!
As vezes precisamos dar um tempo para nós mesmos.

Abraço.

Graça Pires disse...

Quase sempre...
Um abraço.

Sei que existes disse...

Ou talvez quase sempre...
Beijo grande

JC disse...

Concordo inteiramente. Por vezes pensamos que estamos presentes em algum evento, numa cerimónia, num sem número de coisas e, quando damos por nós não estamos presentes em lado nenhum. Estamos ausentes de tudo

lilipat2008 disse...

Tão simples e tão verdadeiro...:)

bjitos

Crisfonseca disse...

E nossa ausência nos doi, mas pode ser precisa.
Verdadeiras palavras.
Beijos,
Cris

Bia disse...

É verdade... as vezes chego a sentir saudades de mim..

miminhos... atrevidos!

Estranha pessoa esta disse...

...........



É isso!

Isabel-F. disse...

Sem dúvida ...

e, parabéns pelo blog. gostei muito.


bjs

Bruxinha disse...

Por vezes é mesmo ..

Mas a maioria das vezes não o é...

bjoka

NAELA disse...

Eduardo a ausência é necessaria por vezes, para que possamos as vezes sentir a nossa essencia, escutar de longe o nosso interior, para que o regresso seja mais forte!
Beijo ausente

Diva disse...

Eh... frase tao pequena e diz tudo que ate transborda.
Bjs meus

Arnaldo Reis Trindade disse...

sinto-me assim hoje, espero que apresença do Brasil nas Olímpiadas e a provavel vitória do time de futebol brasileiro sobre a Argentin acabe com essa ausencia interior.
Abraços

varal experimental disse...

Grande verdade.

Beijinhos

Tata disse...

de fato.

acqua disse...

Deixo meus olhos descobrirem sua paisagem aqui pela primeira vez e logo que chego encaro esse olhar sobre mim mesma, é preciso dizer que sentimos nossa falta (não sempre) mas quando nos descobrimos e isso pode demorar, mas em algum momento acontece. E é engraçado o quanto esperamos por isso. Abraços meus...

(Un)Hapiness disse...

ausência que mais dói

Clarice Lis disse...

Escrevo aqui o que me escreveram sobre mesmo assunto, me sentia assim tb.

"Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite."

"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento."

Clarice Lispector

AnaMar disse...

O melhor da ausência de nós é o regresso.

maria disse...

...e quando sentimos...pq às vezes nem isso sentimos.

Beijinhos

Dry Neres disse...

Ai, meus paradoxos..
A ausência minha é suprida com as palavras suas..
Não some.. um beijo doce pra você, poeta!
=)

pianistaboxeador21 disse...

Existe paradoxo maior que este?

Abraço,
Daniel Lopes

Sandra Daniela disse...

... e são tantas as vezes...

:-)

Dani disse...

xiii... verdade, às vezes vamos embora e demoramos para nos dar conta.

Pena disse...

Genial Amigo:
Tem uma forma de estar na vida admirável. Um carácter profundo, sensível e que eu respeito de forma gigante.
A forma como lida com as palavras que fazem pensar, faz parte integrante do seu majestoso Ser e Sentir.
Ser e Sentir a vida.
O que escreve comporta mensagens magníficas, sinceras e que exigem a sensatez e sobriedade que é a sua e, é, enorme.
Obrigado pela sua amizade.
Quando intitula um Post como o fez:
"Às vezes a única ausência que sentimos é a nossa."

É real, inequívoco, verdadeiro e sincero.
Concordo em absoluto.
Bem-Haja, amigo.

Abraço forte de amizade e continue a pensar assim.
Sempre a lê-lo e a relê-lo com atenção

pena

~pi disse...

sim

[até diria

quase

sempre...



~

Lyra disse...

Voltei de férias e vim feliz!
Há sol dentro de mim
Respiro todas as cores
Há Verão, há flores
Como é bom sentirmo-nos assim!

E é bom voltar a este espaço.

Aparece!

Um grande beijinho e até breve.

;O)

biazinha disse...

Tá publicado, Eduuuuu!

Beijos.

lady-of-smile disse...

Realmente, nao ha coisa pior do que no meio da multidao nos sentirmos sós.
Vim retribuir a sua visita e gostei deste "paradoxos".

Tatá disse...

Isso é bem verdade.
Ruim demais essa falta de nós mesmos...estranho, mas, às vezes, é fundamental...saber que dentro de um peito, o coração bate.

Beijos

anamarta disse...

Olá Eduardo
E por vezes somos obrigados a ausentar-nos de nós mesmos! mas tu não te ausentes de nós os teus textos fazem-nos falta!
beijos

OUTONO disse...

Sublime análise...

E às vezes nem damos por isso...

Forte e oportuno.

Abraços amigo.

João da Silva disse...

Nossa... eu sinto muito isso. Tocaste-me n'alma.
Abraço forte

Bichodeconta disse...

essa verdade inquestionável por vezes assusta,Confesso que ultimamente sinto a minha ausencia e não é bom sinal..Um abraço grande, ell

Brancamar disse...

Olá,

Gostei de vir aqui e ler algo tão significativo...! Todas as ausências primam pela saudade, mas a nossa própria ausência é a mais difícil...e nem todos se voltam a encontrar...
Há muito que queria visitar-te, já passei por aqui não sei se comentei, não sei também se agradeci uma visita que me fizeste um dia.
É que nem de propósito, andei um pouco ausente... porque dedicada intensamente a causas alheias à blogosfera em geral, embora também blogosféricas.
Deixo-te um beijinho.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Estar ausente de si mesmo é prenúncio de melancolia. Meu amigo Paradoxos, já o convidei para apreciar o meu post, e reitero o convite, pois há muita gente da Blogosfera que quer me expulsar daqui. Por isso, pelo encarecidamente que vá. Como já tem o selo Dardos, váo buscar o selo espelho, que ganhei do próprio Google e repassei para 4 pessoas, a próxima é vc.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um beijo,
Renata
Se as pessoas não vão apreciar o meu post, terei de fechar o meu Blog.

Gerlane disse...

Uma grande verdade em poucas palavras. Nós somos imprescindíveis a nós mesmos!

Abraços, amigo!

bekeflowerlee disse...

Ausência...prefiro a presença. :)

Beijão

Klatuu o embuçado disse...

Grande verdade, amigo Eduardo, grande verdade! Tudo nos consome e afasta de nós nesta realidade de asfalto, betão, mentira, injustiça e desamor.

Abraço.

Bichinho disse...

Verdade!
Beijo fantasma.

GMV disse...

Gosto sempre de passar por aqui, quer tenha muito para ler, ou pouco, porque a profundidade é sempre a mesma.
Bjs e bom resto de semana.

Justine disse...

às vezes é...mas é puro egoísmo

rosa dourada/ondina azul disse...

Ausência e solidão, mesmo entre um mar de gente ...


Belo :)))

mundo azul disse...

...e acho que é a pior! Quando nos ausentamos de nós mesmos, perdemos o contato com nosso eu interior, tudo se torna muito difícil...


Em poucas palavras, uma grande reflexão!

Beijos de luz e o meu carinho...

Desnuda disse...

Tenho muitas ausências...

Maravilha, como sempre!

Beijos com perfume de rosas

Deusa Odoyá disse...

Olá meu doce amigo .
quanta saudades sumiuuuuuuuuuu.
Passei para lhe desejar uma semana com muita paz e amor em seu coração.
Muito sentida e reflexiva esse seu texto.

Te aguardo no meu cantinho.


Regina Coeli.

um Ar de disse...

Às vezes é um artifício para se poder "estar" [com os outros...].
[Beijo...]

O Sussurrar do Corpo disse...

Verdade!
Um sussurro...

biazinha disse...

Edu:
Impossível não perceber a ortografia de uma alma tão límpida e bela. No erro e na imperfeição repousa toda a esssência.
Com emoção para o meu amigo que vagueia pelos paradoxos subdoxais de veia poética em sua teia estética.
Beijos aos milhões.

Shadow disse...

E é isso mesmo!!!!

Como sempre, fantástico!

Bjs,
Shadow

DairHilail disse...

muita vez mesmo...agora parto...descalça...

Sunshine disse...

E é com esta que é mais difícl de lidar.
Beijinhos com raios de Sol

Oliver Pickwick disse...

Seja por suposta auto-suficiência, ou por egoísmo, mas é verdade.
Um abraço!

Paula'maria disse...

É bem verdade (:
Obrigado pela visita *

Cátia disse...

Grande verdade! Obrigada pela visita!

Mariana disse...

Porque por vezes valorizamos mais o outro do que a nós próprios .

beijinho

Paulo disse...

Após umas férias na Gran Canária, regresso a casa, são e salvo das recentes tragédias aéreas.

Encontrei-me no ausente e sinto-me novamente feliz.

No "Haart" transcrevo o resumo destes dias recentes.

Xinha disse...

A única e talvez a maior, como resultado de outras culminando na nossa própria ausência.. Ah mas é tão bom o momento do reencontro!

Beijão meu querido, posso-me ausentar de vez em quando mas tu irás sempre cmg p'ra onde eu for!
Muuuuuuuuuua*

Kátia disse...

Concordo plenamente!
Beijo pra ti!

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Pode ser...Mas quando o vejo por aí, sinto a sua e me pergunto: por que me deixou à margem?
Aceite o meu abraço!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Já comentei esse seu post, amigo.
Querido, publiquei um novo post porque passei por maus bocados enquanto o outro post estava publicado. Espero que vc goste. Como é muito longo, eu sempre aviso as pessoas: escolham algo para apreciar , apertem a tecla "page down" que todo computador tem, e ponham o comentário. Se quiser ler ou apreciar mais coisas, o post está lá, basta ir num outro dia. Conto com a sua presença.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um abraço,
Renata

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Oioi, por acaso nao conheco o Uige mas vivi 11 anos em Luanda :)

Beijo meu,

A Elite

Margarida disse...

Completamente certo!
é quando nos perdemos de nós próprios, desealinhando nos do nosso ser, e percorrendo todos os que nos rodeiam...
Um beijinho
Margarida

Chama Violeta disse...

Olá "doce amigo"!
Nos perdemos pelos caminhos de nós mesmos muitas vezes.Mas para não nos perdemos,temos é que sempre nos encontrarmos!

Beijos violeta, fica na paz e na luz!

Marcia Barbieri disse...

Adorei ver seu comentário no meu blog, fazia tempo que você não aparecia,espero que volte sempre porque sempre é bem-vindo.
Beijos
Marcia

A. Lichtenstein disse...

Que frase forte. :)
Saudades de passar por aqui.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Meu querido Eduardo:
Vá ver o Meu Blog logo antes que eu o retire e ponha outro.
Um beijo,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

Maria Anjos Varanda disse...

Ora aí está uma grande verdade...

Beijos

Maria Dias disse...

Olha Edu...Estou sentindo mesmo é a sua ausência no meu Avesso viu?!Venha me visitar moço!rs...

Beijinhos e bom fim de semana!

Oxyder disse...

é bem verdade... precisamos daquele tempo só para nós..
e peço desculpa pela minha ausência nó teu espaço =P

aquele abraço

Guru Martins disse...

Bacana sua escrita.
Apareça quando quiser no Balaio. Você será bem-vindo.

Grande abraço e sucesso!

Marcelo Martins disse...

Por isso mesmo, procuro sempre lembrar-me quem sou de fato.
Senão corro o sério risco de perder-me de mim mesmo.
E sem mim oq ue sou, não é?

Abração

Elliana Alves Rio de Sonhos disse...

É HJ MESMO ESTOU SENTINDO FALTA DE MIM,BJSSSSSS QUERIDO E BOM FINAL DE SEMANA.

Bárbara disse...

que falta de mim...

Blood Tears disse...

é a ausência mais dolorosa de todas... Eu sei...

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Eduardo.

Às vezes nos desviamos do caminho e nos perdemos de nós mesmos.

Uma quinta muito iluminada para você.

Beijos mil! :-)

jorge vicente disse...

caro eduardo, é bem verdade o teu pensamento.

nós estamos quase sempre ausentes de nós próprios. ou então, com os olhos fechados por dentro. sem saber que o que trazemos connosco é muito rico.

é preciso abrir esses olhos internos o quanto antes!

um abraço
jorge vicente

EU disse...

:-) quando começamos a sentir falta de sermos nós proprios!!

zeroz disse...

Existe um grau de excelência na tua escrita.

b.

Claudia Perotti disse...

Concordo!
Beijinhosssssssss

Mello disse...

Concordo plenamente contigo, às vezes temos saudades de alguma parte de nós que se quedou em qualquer sítio. Outras vezes, é só a vontade de estar sós.

Beijinhos,

Graça Mello

LuCe disse...

Talvez seja a mais frequente ausência que sentimos.

ANTONIO CAMBETA disse...

MAIS UM FORTE E PROFUNDO PENSAMENTO QUE NOS DIZ UMA REALIDADE PURA.

TAL COMO A VIDA É CURTA TAL VELA QUE AO MENOR SOPRO DE VENTO SE APAGA, TODOS NÓS A MAIOR AUSÊNCIA É NÃO NOS ENCONTRARMOS A NÓS PRÓPRIOS.

UM ABRAÇO AMIGO

Pêjotinha' disse...

Assumimos tantas personagens ao longo da vida. e desempenhamos papeis tão diversos que por vezes nos deparamos com um emaranhado de dúvidas acerca do real 'eu'. Nada nos parece como já foi. talvez tenha sido alguém que se tenha ido embora e tenhamos que reformular posturas; ou talvez algum dos papeis a representar tenha sido retirado de cena. e talvez sintamos a falta. o que sei é que tantas vezes sinto um vazio em mim. esse vazio que só é de mim.

Pêjotinha' disse...

Ah! E volte sempre :)

Gostei da sua escrita. é amarga por meio do doce. com raios de realidade cruzada no sonho. obriga o leitor a ser activo e a questionar-se. é o que se quer: pessoas activas e não vegetais :)