terça-feira, 2 de março de 2010

24 comentários:

Shakti disse...

Pelo menos quando escorrego sempre aprendo algo...

bj

Lara Amaral disse...

Quantos tombos não levamos, hein?

=)

Beijos.

Nanda Assis disse...

lindoo, te adoro.

bjosss...

Carmem disse...

Palavras cascudas.:)
Tá lindo!

bjus

Graça Pires disse...

Originalíssimo!
Um abraço.

Fê-blue bird disse...

Escorregar nas palavras é o sentimento de quem escreve, umas vezes caímos bem, outras nem por isso, o importante contudo é erguer-mo-nos!
Beijinhos

ParadoXos disse...

Não percebes os silêncios que escrevo nas pedras
nem a palavra que escorre e rega imagens que ainda não são poema.

Virgínia do Carmo disse...

Conheço pessoas que escorregam na casca das palavras que outros escreveram, e mesmo assim não as vêem.

Abraço

Margarida Fernandes disse...

O importante é levantar-nos e seguir em frente...sempre com uma lição aprendida.

Graça disse...

Tu podes escrever em qualquer lado... será sempre belo.

Meu querido Eduardo, hoje, particularmente, dois beijos: um o nosso, sempre, tão... o outro, de PARABÉNS, pois claro, tão teu!!!

visões disse...

escorregue...

val du disse...

Paradoxos,

"O chão não é o limite.":)

Beijos.

Anabela disse...

Cinzela a mente
Martela a Força
O que é inerte
Pedra
Escreve
Forma, não palavra
Diferença, não matéria
Espírito
Homem que lhe dá
Talho
Templo

Maria Rosa

OT disse...

andei bisbilhotando
algumas das tuas
publicações antigas,
e deixa-me que te
diga que este blog
é de génio!
de muito simples
apresentação, sem
ruído, bastante
poético e reflexivo.

um espaço que vale a
pena visitar sempre...
até mais ver!

unknown disse...

Obrigada pela visita ao meu canto :)
Gostei muito de cá vir e este blog tem muita coisa boa que vale a pena "perder tempo" a ler
Bj

Gerana Damulakis disse...

Muito bacana.

Maria Bonfá disse...

ola vim agradecer sua visita. amei seu blog....com poucas palavras vc diz tudo..parabens.. tornei-me sua seguidora..beijão

mdsol disse...

:)

Andréia Carvalho disse...

e galopar entre flores.

maria manuel disse...

"para escorregar na casca das palavras"... e poder descacá-las, buscar-lhes a essência.

brisa de praia disse...

escrever no chão para estares ma<is em comunhão com a natureza...pk és humilde na tua condição de fragmento cósmico, meio à deriva no universo...pk a essência capta-se em gestos simples, humildes e sinceros!

bj, mano

Guerreira LUENA disse...

As palavras possuem uma casca que escorrega asfalto no seu por fora e escorre mercúrio líquido por dentro, de termómetros quebrados em acessos-delírios de quem por elas passa e não entende por que razão elas voam, e não se aoagam e não perdoam...
São pedras e boomerangues.
Talvez a solução seja "tropeçar nelas", para se despertar para o sentido oculto das coisas que elas nomeiam. Dos nomes que somos nós.

Mar Arável disse...

No chão das palavras

uma pedra

Cosmunicando disse...

deixar a poesia solta nas pedras, para que a encontremos... só você.
:)